Busca avançada

O reparo por excisão de nucleotídeo está envolvido no mecanismo de ação dos poluentes atmosféricos urbano?

Processo: 14/02297-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Paulo Hilário Nascimento Saldiva
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias pulmonares   Poluição atmosférica

Resumo

A poluição atmosférica é um fator de risco ambiental, principalmente nos grandes centros urbanos e está, atualmente, associada com a mortalidade por câncer de pulmão. Neste contexto, destaca-se a região metropolitana de São Paulo, que concentra importantes complexos industriais e, com sete milhões de veículos, possui uma das maiores frotas de veículos do planeta. Pesquisas mostram que a exposição aos poluentes atmosféricos é capaz de causar diversos efeitos à saúde, tais como: aumento da resposta pró-inflamatória, estresse oxidativo entre outros. Tais efeitos por sua vez induzem outras diversas respostas celulares, como por exemplo, a formação de danos no DNA pode desencadear um evento mutagênico se não for eficientemente removida por vias de reparo de DNA. Recentemente, estudos mostram que a via de reparo por excisão de nucleotídeos está envolvida no reparo de lesões causadas por agentes ambientais. Até o momento, poucos trabalhos com resultados que mostram o mecanismo de ação de poluentes atmosféricos urbano e esta via de reparo foram desenvolvidos. Portanto, o presente trabalho propõe o estudo da ação do material particulado (MP), proveniente da região metropolitana de São Paulo, na indução e reparo de danos ao DNA e, se estes danos podem levar a formação de neoplasias, principalmente no pulmão. Para esse estudo serão empregados camundongos deficiente para essa via de reparo, KO para o gene XPA. Os resultados desta pesquisa deverão subsidiar o conhecimento dos mecanismos de ação dos poluentes associados com o câncer de pulmão. Este estudo também proverá a quantificação de nanopartículas e a caracterização química dos poluentes atmosféricos da região metropolitana de São Paulo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Poluente emitido pela queima de biomassa causa dano ao DNA e morte de célula pulmonar 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa:
Poluente emitido pela queima de biomassa causa dano ao DNA e morte de célula pulmonar