Busca avançada

A origem e irradiação dos dinossauros no Gondwana (Neotriássico - Eojurássico)

Processo: 14/10237-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Paleozoologia
Pesquisador responsável:Max Cardoso Langer
Beneficiário:
Instituição-sede : Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/03825-3 - A origem e irradiação dos dinossauros no Gondwana (Neotriássico - Eojurássico), AP.TEM
Assunto(s):Filogenia   Archosauria   Gondwana   Paleontologia de vertebrados   Evolução animal   Dinossauros

Resumo

O primeiro terço da história evolutiva dos dinossauros, durante o Neotriássico e Eojurássico, concentra a maior parte dos eventos de irradiação do grupo, definindo as partições filogenéticas básicas nas quais se inserem as principais linhagens dinossaurianas. Em terrenos gondwânicos, a origem do grupo é bem representada por depósitos neotriássicos do noroeste Argentino e sul do Brasil, que congregam os mais importantes registros globais dos primeiros dinossauros. Já depósitos eojurássicos com dinossauros (em particular na América do Sul) são muito mais raros, correspondendo a importante lacuna no conhecimento sobre a evolução dos mesmos. Neste projeto, propõe-se prospectar depósitos neotriássicos e jurássicos do Gondwana em busca de fósseis de dinossauros, bem como desenvolver estudos revisionais de cunho anatômico e sistemático de táxons-chave do grupo. Os esforços de coleta se concentrarão em depósitos triássicos do sul do Brasil (Fms. Santa Maria e C aturrita) e Tanzânia ("Tunduru beds"), e jurássicos do NE Brasileiro (Fm. Pastos Bons) e da Venezuela (Fm. La Quinta). Materiais já coletados, que serão o foco inicial dos estudos anatômicos e de posicionamento filogenético, incluem um novo terópode stem-Averostra do Jurássico da Venezuela, além de vários dinossauros basais do Triássico do Rio Grande do Sul. Adicionalmente, será avaliada a possibilidade de datação radioisotópica (U-Pb) dos depósitos supracitados, no intuito de congregar informações geocronológicas às de cunho filogenético, possibilitando um melhor entendimento do "tempo e modo" da irradiação dos dinossauros no Gondwana. (AU)