Busca avançada

Resposta da camada profunda do Atlântico Sul tropical às mudanças na circulação meridional do Atlântico: uma abordagem isotópica

Processo: 13/14599-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 18 de dezembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Cristiano Mazur Chiessi
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/17517-3 - Resposta da porção oeste do Oceano Atlântico às mudanças na circulação meridional do Atlântico: variabilidade milenar a sazonal, AP.PFPMCG.JP
Bolsa(s) vinculada(s):14/26482-4 - Resposta da camada profunda do Atlântico Sul tropical às mudanças na circulação meridional do Atlântico: uma abordagem isotópica, BE.EP.MS
Assunto(s):Paleoceanografia   Paleoclimatologia   Mudança climática   Quaternário   Foraminifera   Atlântico Sul

Resumo

A Circulação Meridional do Atlântico (AMOC) desempenha um papel fundamental na circulação e no clima do Atlântico e adjacências. Resultados de modelos globais acoplados oceano-atmosfera indicam um enfraquecimento da AMOC para as próximas décadas. Modelos conceituais e numéricos sugerem que períodos de mudanças climáticas abruptas do Quaternário tardio deveriam produzir marcantes alterações na geometria de massas de água profundas da porção oeste do Atlântico Sul. No entanto, a verificação desta hipótese ainda não foi possível, principalmente em função da carência de registros paleoceanográficos adequados. Consequentemente, aprofundar a compreensão da resposta da porção oeste do Atlântico Sul às mudanças na AMOC é questão de suma importância. Neste projeto serão obtidos e utilizados resultados de análises isotópicas de oxigênio e carbono em testas de foraminíferos epibentônicos de três testemunhos sedimentares marinhos da porção oeste tropical do Atlântico Sul para: i) reconstituir a geometria das massas de água profundas da porção oeste do Atlântico Sul tropical desde o Estágio Isotópico Marinho 3, e ii) verificar a existência/ausência de relação entre as mudanças na geometria das massas de águas profundas e alterações na intensidade da AMOC em escala milenar. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MARIA CAROLINA AMORIM CATUNDA. Climatic evolution of eastern South America during the last deglaciation: a paleoceanographic approach. 2016. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Geociências São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.