Busca avançada

Estudo da foto-degradação de gelos astrofísicos contendo acido acético e seus isômeros (formiato de metila e glicoladeído)

Processo: 14/08643-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia
Pesquisador responsável:Sergio Pilling Guapyassu de Oliveira
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D). Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP). São José dos Campos, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/18304-0 - Síntese e degradação de espécies moleculares pré-bióticas em atmosferas planetárias, cometas e gelos interestelares simulados, AP.JP
Assunto(s):Meio interestelar   Exobiologia   Ácido acético   Astroquímica

Resumo

O acido acético e seus isômeros (formiato de metila e glicoladeído) têm sido detectados em diversos ambientes espaciais, como por exemplo, em nuvens moleculares associadas a região de formação estelar. Suas abundâncias em relação ao hidrogênio molecular em diferentes regiões, variam bastante entre si, o que estaria relacionado com o mecanismos de formação e destruição distintos. No espaço, essas espécies químicas tanto na forma gasosa quanto na forma de gelos, estão constantemente sendo submetidas à intensos campos de radiação ionizante (fótons UV, raios X, elétrons e íons rápidos) que promovem mecanismos de dissociação molecular.Neste trabalho iremos realizar um estudo experimental envolvendo gelos astrofísicos simulados em laboratório, para se compreender qual dos isômeros que possuem a fórmula molecular C2H4O2 (acido acético - CH3COOH, formiato de metila - HCOOCH3 e o glicoladeído - HOCH2CHO), seria o mais destruído na presença de fótons ionizantes. Nesta primeira etapa, serão analisados dados obtidos recentemente sobre a fotodissociação da molécula de acido acético a uma temperatura de 12 K, irradiado por fótons no ultravioleta e raios-X (de 6 eV a 1200 eV). Os experimentos foram realizados dentro de uma câmara de ultra-alto vácuo do Laboratório de Astroquímica e Astrobiologia da Univap (LASA) acoplado na linha de luz SGM do Laboratório Nacional de Luz Sincroton (LNLS), em Campinas, SP (projeto FAPESP JP 2009/18304-0). As amostras foram monitorada por espectroscopia vibracional no infravermelho (FTIR). E a analise dos dados permitirão determinar as seções de choque de destruição molecular bem como a da formação de espécies filhos (ex. CO, CO2 e CH3, H2O) na amostra irradiada. Os resultados desse estudo serão confrontados com dados observacionais e permitirão elucidar a química e a fisico-química existente entre os isômeros do acido acético em regiões de formação estelar. (AU)