FAPESP Logo

Banco de espermatogônias tronco em peixes para conservação do genótipo de espécies ameaçadas e de interesse econômico

Beneficiário:

Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:

Rafael Henrique Nóbrega

Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Processo: 13/22778-3
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 31 de dezembro de 2015
Assunto(s):

Transplantes

Criopreservação

Espermatogênese

Expressão gênica

Resumo
As espermatogônias tronco são as únicas células tronco do corpo capazes de transmitir a informação genética de uma espécie ao longo de várias gerações. Esta característica se deve ao potencial dessas células tronco de se auto-renovarem, como também de produzirem células diferenciadas que darão origem a milhões de espermatozóides. Pesquisas recentes utilizando espermatogônias tronco têm gerado metodologias bastante promissoras na área da aquicultura, como por exemplo o transplante de espermatogônias tronco. Esta técnica consiste no isolamento das espermatogônias tronco de um doador e sua transferência para os testículos de um receptor, onde as células tronco se desenvolvem e originam espermatozóides com características genéticas do doador. Neste projeto, propõe-se criar um banco de espermatogônias tronco que associado à técnicas de transplante constituirão um enorme potencial para preservação de espécies ameaçadas e de interesse zootécnico. Sendo assim, pretende-se investigar marcadores moleculares de espermatogônias tronco em uma espécie de laboratório, zebrafish (Danio rerio), e aplicar este conhecimento em espécie nativa de interesse comercial, jundiá (Rhamdia quelen). As espermatogônias tronco do jundiá serão selecionadas com base nestes marcadores, e logo em seguida criopreservadas. Para testar a viabilidade das células criopreservadas, as espermatogônias tronco serão descongeladas e submetidas à técnicas de transplante. Além disso, também será objetivo do projeto gerar jundiás vasa::egfp (transgênico) no intuito de melhor monitorar o desenvolvimento das células transplantadas no receptor. Os resultados deste projeto servirão de base para criopreservação de espermatogônias tronco de várias espécies de teleósteos no intuito de conservar o genótipo de espécies ameaçadas e de valor econômico. (AU)
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP