Pesquisa avançada

A Eneida de Sílio itálico: a emulação e os heróis de Punica

Processo: 13/07432-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literaturas Clássicas
Pesquisador responsável:Paulo Martins
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil

Resumo

A finalidade da pesquisa é o estudo da construção das personagens heroicas na epopeia Punica, de Sílio Itálico, tendo em vista procedimentos retóricos e poéticos antigos. Alguns aspectos da obra são particularmente importantes para esta questão, como a arquitetura do poema e a emulação de poetas gregos e latinos. O estudo propõe-se, assim, à reflexão sobre a emulação na poesia épica, à tradução de trechos relevantes para a abordagem do tema, bem como contribuir para as discussões sobre o gênero épico e suas variações, visto que a constituição de um anti-herói (Aníbal) como centro da narrativa é incomum na tradição épica latina de matiz bélico mitológico. O cerne de nossa tese é responder à questão, ainda em aberto, sobre quantos e quais são os heróis desta epopeia do período flaviano. No poema, que narra a Segunda Guerra Púnica à maneira épica, o inimigo protagoniza a maior parte, e parece ser construído como êmulo de Hércules e do Eneias virgiliano, sendo que nesta comparação, no entanto, evidenciam-se os vícios do (anti-)herói Aníbal. Mas podemos considerar que a obra possui também heróis: os múltiplos romanos que lutaram contra o estrangeiro e, principalmente, Cipião Africano, que, embora se destaque somente nos últimos livros, reúne qualidades dos generais romanos anteriores, sintetizando virtudes republicanas e a força militar do Império. Cipião Africano aos poucos parece conquistar a imagem heroica da qual carece Aníbal; esta disputa pela posição de herói da epopeia resume em si o conflito que move toda a obra: a luta entre Roma e Cartago pelo domínio do mundo e a glória eterna. Veremos que a construção dos heróis no poema, assentada na emulação da tradição poética grega e latina, tem muito a nos dizer sobre a visão do autor sobre o gênero épico, sobre Roma, do passado e do presente, e sobre os principais aspectos da narrativa. Disponibilizaremos, assim, um dos primeiros estudos sobre a obra de Sílio Itálico em língua portuguesa. (AU)