Busca avançada

A latinização do vocabulário grego do ser no de Hebdomadibus de Boécio

Processo: 13/02870-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 30 de abril de 2013
Vigência (Término): 29 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:José Carlos Estêvão
Beneficiário:
Supervisor no Exterior: Christophe Grellard
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Local de pesquisa: Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, França  
Vinculado à bolsa:11/15787-0 - A Latinização do Vocabulário Grego do Ser em Boécio, BP.MS
Assunto(s):Filosofia medieval   Filosofia da linguagem   Neoplatonismo   Metafísica

Resumo

O problema filosófico que está em questão é como interpretar a afirmação boeciana de que substâncias são boas porque são. Com isto Boécio quer dizer que ao predicar Ser das substâncias (i.e., dizer "substâncias são"), portanto se pode predicar conversamente que "são boas"? Ser e Bem seriam convertíveis um ao outro e, pois, co-extensivos? Ou ainda poderia ser o caso em que Ser implicaria ser bom, mas Bem não implicaria Ser? O Bem seria então, assim como em Platão, mais extenso que Ser, e Ser implicaria Bem, porque justamente todo Ser é bom? São essas as questões que nos interessam neste nosso projeto. (AU)