FAPESP Logo

Intelectuais em movimento: o grupo Comuna na construção hegemônica antineoliberal na Bolívia

Beneficiário:

Instituição: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisador responsável:

Alvaro Gabriel Bianchi Mendez

Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Teoria Política
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo: 11/15586-5
Vigência: 01 de maio de 2012 - 31 de março de 2013
Assunto(s):

Bolívia

Indianismo

Resumo
A pesquisa apresentada aqui tem como objeto o pensamento político do grupo Comuna, na Bolívia, entre 1991 e 2010. O pensamento do grupo sempre teve como mote a incorporação do indianismo boliviano dentro dos marcos de análise do marxismo e, para atingir esse objetivo teórico-político, produziu elaborações teóricas inovadoras no campo do marxismo latino-americano, principalmente a respeito do potencial papel revolucionário que pode cumprir a propriedade comunal e da atualizaçao do conceito de classe trabalhadora. Nesse sentido, a pesquisa proposta parte de uma dupla necessidade: a) da investigação das inovações teóricas propostas pelo Comuna no âmbito do marxismo latino-americano, b) da reconstrução das principais polêmicas em que esse grupo se envolveu com outras tradições marxistas e indianistas na Bolívia nesse período. Trata-se de uma discussão teórica sobre o pensamento político do grupo e de uma discussão histórica sobre o surgimento dessa corrente de pensamento. A questão que norteia todo esse estudo é se a tentativa de síntese do grupo entre as duas correntes revolucionárias da Bolívia - marxismo e indianismo - consegue atingir a perspectiva anti-capitalista e revolucionária a que se propõe, ao aliar, de acordo com a realidade boliviana, aspectos diferentes dessas duas "cosmovisões". Tem-se como objetivo geral, para responder a essa questão, analisar a produção do grupo Comuna entre os anos de 1991 e 2010, na Bolívia, buscando entender as inovações teóricas trazidas pelos intelectuais do grupo ao marxismo e o contexto histórico no qual elas estão inseridas. Para isso, buscam-se objetivos mais específicos, como sistematizar as inovações teóricas do grupo; elencar e periodizar os momentos históricos que foram pano de fundo para essas teorizações; e, por fim, elencar e discutir as polêmicas que foram suscitadas a partir dela. Cogita-se, como hipótese da pesquisa, que a produção teórica do grupo, para atingir o objetivo de incorporar o setor indígena da população boliviana às análises marxistas e para caracterizar a sociedade boliviana a partir de suas especificicades, trata de forma específica e conforme a realidade boliviana o papel revolucionário da propriedade comunal e amplia o espectro de alcance do conceito de classe trabalhadora na direção de formular uma idéia mais ampla de sujeito revolucionário, que englobe mais setores das classes subalternas bolivianas. Ao fazer isso, e aqui está a hipótese central da pesquisa, o grupo Comuna produziu uma teoria inovadora no âmbito do marxismo latino-americano, desde a maneira de caracterizar a sociedade e sua composição de classes até a maneira de conceber a articulação entre as classes na sociedade. A pesquisa é um desdobramento da investigação científica finalizada em 2010 sob o tema "Estado, neoliberalismo e alternativas na América Latina: uma análise da experiência boliviana", e se enquadra num conjunto mais amplo de pesquisas dentro do Centro de Estudos Marxistas (CEMARX), na linha de Marxismo e Teoria Política - frente de pensamento político latino-americano. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
RODRIGO SANTAELLA GONÇALVES. Intelectuais em movimento : o grupo Comuna na construção hegemônica antineoliberal na Bolívia. 2013. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas.
Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema:
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP