FAPESP Logo

Efeitos determinados pela administração subaracnóidea de dexmedetomidina, em punção única, sobre a medula espinal e as meninges de coelhos

Beneficiário:

Instituição: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Pesquisador responsável:

Eliana Marisa Ganem

Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo: 11/22262-1
Vigência: 01 de janeiro de 2012 - 31 de dezembro de 2012
Assunto(s):

Dexmedetomidina

Rim

Isquemia

Reperfusão

Resumo
RESUMOJUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Alterações hemodinâmicas perioperatórias levam a hipoperfusão renal com conseqüente falência deste órgão. Lesão de isquemia e reperfusão é a primeira causa de insuficiência renal aguda neste período, elevando as taxas de morbidade e mortalidade. A dexmedetomidina é um agonista seletivo do receptor ±2 que promove boa estabilidade hemodinâmica intraoperatória. Seu efeito sobre função renal foi estudado em situações de hemorragia. O objetivo desta pesquisa é estudar os efeitos da dexmedetomidina sobre a função renal em modelo de isquemia e reperfusão em ratos. MÉTODO: Trinta ratos adultos serão distribuidos em três grupos: Grupo S ou Sham (n=10) serão anestesiados com isoflurano e dexmedetomidina (3mcg/Kg em 10 minutos, seguido de 3mcg/Kg/h) e será submetidos a laparotomia com nefrectomia direita; Grupo C ou Controle (n=10) serão anestesiados com isoflurano e submetidos a laparotomia e nefrectomia direita com clampeamento da artéria renal esquerda por 30 minutos, seguido de reperfusão por 30 minutos; Grupo E ou Estudo (n=10) serão anestesiados com isoflurano + dexmedetomidina (3mcg/Kg em 10 minutos, seguido de 3mcg/Kg/h) e submetidos a laparotomia e nefrectomia direita com clampeamento da artéria renal esquerda por 30 minutos, seguido de reperfusão por 30 minutos. Serão estudadas variáveis hemodinâmicas (pressão arterial e freqüência cardíaca), temperatura e marcadores bioquímicos de função renal (NGAL, creatinina e interleucinas) nos momentos imediatamente após estabilização(M1), trinta minutos após clampeamento da artéria renal esquerda(M2), trinta minutos após reperfusão renal (M3) e 24 horas após reperfusão (M4).PALAVRAS-CHAVE: Dexmedetomidine, rim, proteção renal, isquemia e reperfusão (AU)
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP