Busca avançada

Exposição de ratas wistar à poluição atmosférica antes ou durante a gestação: efeitos sobre os fetos e a placenta

Processo: 10/18415-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de junho de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Joel Claudio Heimann
Beneficiário:
Instituição-sede : Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/01489-5 - O sistema renina-angiotensina em prole de mães submetidas a alterações no ambiente perinatal, AP.TEM
Assunto(s):Nefrologia   Desenvolvimento fetal   Poluição atmosférica   Sistema renina-angiotensina   Ratos Wistar   Modelos animais

Resumo

É cada vez mais reconhecido que a exposição à poluição do ar está associada a efeitos adversos à saúde podendo gerar alterações no sistema respiratório, cardiovascular e na vida reprodutiva como fertilidade, desenvolvimento gestacional e saúde fetal. Podem ocorrer casos de prematuridade, aumento na proporção do nascimento de fêmeas, alterações placentárias e baixo peso ao nascimento. O baixo peso fetal indica também escassez na oferta de nutrientes e oxigênio pela mãe e pode estar relacionado tanto à desnutrição como a problemas hemodinâmicos maternos e distúrbios morfológicos e funcionais da placenta. Como a maioria dos tecidos, a placenta também possui um Sistema Renina-Angiotensina (SRA) local e a ativação deste sistema pode ser um mecanismo importante na patogênese de muitas doenças como restrição de crescimento intra-uterino, possivelmente por levar a uma deficiência na perfusão útero-placentária. Desta forma, é necessário o desenvolvimento de um estudo que possa determinar quais os possíveis efeitos da exposição à poluição do ar, nos períodos pré-gestacional ou gestacional, sobre as características da placenta e o desenvolvimento fetal. Para tal, ratas Wistar serão expostas à poluição atmosférica no concentrador de partículas ambientais a uma concentração de micropartículas de 600 ¼g/m³, que foi determinada com base nas exposições ambientais reais na região metropolitana da cidade de São Paulo. Os fetos e a placenta serão avaliados para verificar os possíveis efeitos da exposição materna à poluição ambiental sobre seu desenvolvimento. Serão estudadas as seguintes variáveis nos fetos: peso, número, proporção entre os sexos, massa cardíaca, renal e pulmonar; nas placentas: peso, morfologia e atividade do sistema renina-angiotensina. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Exposição ao ar poluído antes ou durante a gravidez altera a estrutura da placenta 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SOTO, SONIA DE FATIMA; DE MELO, JULIANA OLIVEIRA; MARCHESI, GUILHERME D'APRILE; LOPES, KAREN LUCASECHI; VERAS, MARIANA MATERA; DE OLIVEIRA, IVONE BRAGA; DE SOUZA, REGIANE MACHADO; DE CASTRO, ISAC; SHINOHARA FURUKAWA, LUZIA NAOKO; NASCIMENTO SALDIVA, PAULO HILARIO; HEIMANN, JOEL C. Exposure to fine particulate matter in the air alters placental structure and the renin-angiotensin system. PLoS One, v. 12, n. 8 AUG 18 2017. Citações Web of Science: 0.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SÔNIA DE FÁTIMA SOTO. Alterações placentárias em resposta à exposição de ratas Wistar à poluição atmosférica. 2015. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.