Busca avançada

Estudo prospectivo da infecção pelo vírus da dengue em crianças no município de Ribeirão Preto, São Paulo.

Processo: 09/14552-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Victor Hugo Aquino Quintana
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/50617-6 - Estudos sobre vírus emergentes incluindo arbovirus, robovirus, vírus respiratórios e de transmissão congênita, no Centro de Pesquisa em Virologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, AP.TEM
Assunto(s):Crianças   Dengue

Resumo

RESUMOA dengue é uma doença infecciosa, não contagiosa, causada por um vírus que recebe o mesmo nome, vírus da dengue (DENV) e é transmitida pela picada de mosquitos do gênero Aedes. Mais de 50 milhões de infecções ocorrem anualmente, acarretando 500.000 casos de maior gravidade e 22.000 mortes. A doença cursa de forma assintomática ou com quadro clínico que varia desde uma febre indiferenciada e autolimitada, passando pela febre clássica da dengue (FD), até quadros graves de febre hemorrágica da dengue/síndrome do choque da dengue (FHD/SCD). Clinicamente, o diagnóstico da dengue é difícil de ser realizado, pois os sintomas são muito similares aos de outras infecções febris agudas. O diagnóstico definitivo da infecção pelo DENV somente pode ser realizado laboratorialmente. Os métodos de isolamento viral permanecem como padrão ouro para diagnóstico definitivo, mas os testes sorológicos para detecção de anticorpos dos tipos IgM e/ou IgG são os mais amplamente utilizados. Além destes, vem sendo observado um aumento de laboratórios que utilizam técnicas de biologia molecular para detecção do RNA viral. Até o momento, a prevenção e o controle da dengue dependem do combate ao Aedes aegypti, pois não existe droga antiviral ou vacinas disponíveis para uso clínico. A patogênese da forma grave da doença ainda não está totalmente esclarecida, porém entre os indivíduos com maior risco de apresentar FHD estão aqueles pertencentes à faixa etária pediátrica. No Brasil, até o ano de 2006 os casos de FHD ocorreram predominantemente na faixa etária dos 20 aos 40 anos de idade, mas a partir de 2007, além do aumento no número de casos graves, mais da metade deles ocorreram em menores de 15 anos de idade em várias regiões do país. O objetivo deste trabalho de doutorado é estudar prospectivamente a infecção pelo vírus da dengue em uma coorte de crianças de 1 a 12 anos atendidas em um serviço público de Pediatria e Puericultura na cidade de Ribeirão Preto, São Paulo por um período de três anos. O recrutamento dos indivíduos será feito através da exposição do estudo e assinatura de Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Para calcular o número de participantes a serem incluídos no inquérito sorológico do estudo admitiu-se a soroprevalência de 5,4% por ser esta a obtida para a faixa etária de 5 a 15 anos no estudo conduzido por Figueiredo em 1995. Assumindo-se um nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95%, e considerando que a população da área de abrangência do posto e de 19839 habitantes, o tamanho da amostra foi estimado em 470 indivíduos. Durante o seguimento, os indivíduos que apresentarem doença febril aguda ou exantemática terão amostras de sangue, urina e saliva coletadas para realização de testes diagnósticos sorológicos, virológicos e de biologia molecular. Este estudo prospectivo permitirá conhecer melhor a história natural da doença nesta faixa etária, documentar sua incidência e soroprevalência, fazer comparações com os dados obtidos pelos sistemas de vigilância, caracterizar, dentro do espectro clínico da doença, os sinais e sintomas peculiares em crianças e avaliar a utilidade de urina e saliva como material biológico para diagnóstico laboratorial da dengue. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
TELMA REGINA RAMOS SILVA POLONI. Estudo das características clínicas e laboratoriais da infecção pelo vírus da dengue em crianças atendidas em uma unidade de saúde no municipio de Ribeirão Preto, São Paulo. 2013. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.