Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do treinamento físico e da reposição hormonal no controle cardiovascular em um modelo experimental de menopausa: papel do estresse oxidativo

Processo: 09/06865-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 30 de junho de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Kátia De Angelis
Beneficiário:Sebastião de Brito
Instituição-sede : Centro de Pesquisa. Universidade São Judas Tadeu (USJT). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/57595-5 - Efeitos do treinamento físico no controle autônomo cardiovascular em fêmeas saudáveis e submetidas à privação dos hormônios ovarianos: papel do estresse oxidativo, AP.JP
Assunto(s):Estresse oxidativo   Fisiologia cardiovascular   Análise espectral   Menopausa   Treinamento físico   Terapia de reposição hormonal

Resumo

No climatério observa-se aumento do risco cardiovascular, o qual tem sido associado à redução do papel protetor dos hormônios sexuais femininos nesta fase. Considerando o importante papel da disfunção autonômica como fator de risco de doença cardiovascular, bem como o possível envolvimento do estresse oxidativo nesta disfunção, intervenções que reduzam o estresse oxidativo e/ou melhorem a função autonômica tem sido vistas como potenciais estratégias no manejo do risco cardiovascular. Neste sentido, abordagens farmacológicas e não-farmacológicas, como a terapia de reposição hormonal e o treinamento físico, têm sido sugeridas para atenuar as disfunções cardiovasculares e autonômicas associadas à maior mortalidade em mulheres após a menopausa. No entanto, os mecanismos fisiológicos envolvidos nos possíveis benefícios dessas abordagens foram muito pouco estudados no sexo feminino. Dessa forma, o objetivo do presente projeto (subprojeto 3 do Auxílio Jovem Investigador 07/57595-5 da FAPESP) será avaliar os efeitos da reposição hormonal (17ß-estradiol durante 8 semanas), associado ou não ao treinamento físico aeróbico (8 semanas em esteira ergométrica), no controle autonômico cardiovascular (pressão arterial [PA] e frequência cardíaca [FC] registradas de forma direta; sensibilidade dos pressorreceptores; controle autonômico da FC pelo bloqueio farmacológico; variabilidade da FC e da PA), bem como no estresse oxidativo, na atividades das enzimas antioxidantes e nos níveis plasmáticos de nitritos e nitratos em ratas ooforectomizadas. As ratas (210-230g) serão divididas em grupos (n=8 em cada grupo): controle saudável; oofectomizado (retirada bilateral dos ovários) sedentário e treinado; e ooforectomizado submetido à reposição hormonal sedentário e treinado. Os resultados do presente projeto poderão colaborar na compreensão dos mecanismos responsáveis pelos benefícios fisiológicos induzidos pelo treinamento físico em associação ou não ao uso do 17ß- estradiol na redução do risco cardiovascular em mulheres no climatério, bem como na busca de abordagens mais precisas para o diagnóstico e tratamento das doenças cardiovasculares nas mulheres menopausadas, de tal forma que estudos posteriores possam mostrar redução da morbimortalidade nessa população. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FLUES, KARIN; PAULINI, JANAINA; BRITO, SEBASTIAO; SANCHES, IRIS CALLADO; CONSOLIM-COLOMBO, FERNANDA; IRIGOYEN, MARIA-CLAUDIA; DE ANGELIS, KATIA. Exercise training associated with estrogen therapy induced cardiovascular benefits after ovarian hormones deprivation. MATURITAS, v. 65, n. 3, p. 267-271, 2010. Citações Web of Science: 24.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.