Auxílio à pesquisa 17/08122-9 - Priapismo, Anemia falciforme - BV FAPESP
Busca avançada
Ano de início
Entree

Priapismo e disfunção miccional na Anemia Falciforme: fisiopatologia e novos candidatos a fármacos

Processo: 17/08122-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de abril de 2018 - 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Autonômica
Pesquisador responsável:Fábio Henrique da Silva
Beneficiário:Fábio Henrique da Silva
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesq. associados: Arthur Louis Burnett ; Fernando Ferreira Costa ; Leonardo Oliveira Reis
Bolsa(s) vinculada(s):18/06243-6 - Priapismo e disfunção miccional na anemia falciforme: fisiopatologia e novos candidatos a fármacos, BP.JP
Assunto(s):Priapismo  Anemia falciforme  Micção  Hemólise  Óxido nítrico  Modelos animais 

Resumo

O Priapismo constitui importante problema clínico para os pacientes homens com Anemia Falciforme. Apesar dos avanços na compreensão da fisiopatologia desta condição, ainda são poucos os estudos destinados ao entendimento dos mecanismos fisiopatológicos envolvidos. Até o momento, não existe nenhuma terapia farmacológica adequada para prevenir o Priapismo. O ideal é que as novas estratégias de prevenção atuem na base fisiopatológica da doença. Na Anemia Falciforme, evidências experimentais mostram que a redução da biodisponibilidade de óxido nítrico (NO) no pênis é uma das principais causas para desencadear o Priapismo. Recentemente, mostramos que um novo composto doador de NO, híbrido derivado da talidomida e hidroxiureia, previne o Priapismo em camundongos transgênicos para Anemia Falciforme. Em um esforço continuo em identificar novos candidatos a fármacos para o tratamento do Priapismo, o presente projeto propõe avaliar o efeito farmacológico de novos e promissores compostos doadores de NO em camundongos transgênicos para a Anemia Falciforme. Estes compostos são híbridos derivados da talidomida, resveratrol e núcleo furoxânico. Conforme a ciência avança sobre o conhecimento da Anemia Falciforme, pesquisas clínicas recentes mostraram que pacientes com Anemia Falciforme apresentam sintomas do trato urinário inferior. Aproximadamente 38% dos pacientes apresentam bexiga hiperativa. Entretanto, os mecanismos fisiopatológicos envolvidos na disfunção miccional na Anemia Falciforme são escassos. Uma notável alteração que ocorre na Anemia Falciforme de um modo geral é o aumento do estresse oxidativo e a redução da biodisponibilidade de NO. Neste contexto, o presente projeto também propõe estudar as alterações da via de sinalização NO-GMPc e o papel do estresse oxidativo na disfunção miccional em camundongos transgênicos para Anemia Falciforme. Na Anemia Falciforme, a redução da biodisponilidade de NO pela hemoglobina é uma grave consequência da hemólise intravascular. Estudos clínicos apontam uma forte correlação positiva entre o Priapismo e níveis aumentados de hemólise intravascular em homens com Anemia Falciforme. Entretanto, até o momento, não há estudos experimentais que corroboram as evidências clínicas. No presente projeto, levantamos a hipótese que a redução da biodisponibilidade de NO pela hemoglobina livre contribui para o Priapismo e também para a disfunção miccional na Anemia Falciforme. Portanto, o presente projeto também propõe estudar o papel da hemólise intravascular na função do trato geniturinário inferior (pênis, bexiga e uretra) em camundongos transgênicos para Anemia Falciforme e em modelo de hemólise intravascular induzido pela fenilidrazina em camundongos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.