Busca avançada
Ano de início
Entree

Mortalidade nos transtornos mentais

Processo: 17/03771-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de setembro de 2017 - 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Convênio/Acordo: Fundação Seade
Pesquisador responsável:Paulo Rossi Menezes
Beneficiário:Paulo Rossi Menezes
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Cristina Marta Del Ben
Pesq. associados:Alicia Matijasevich Manitto ; Domingos Alves ; Heloisa Bettiol ; Jair Licio Ferreira Santos ; joão mazzoncini de azevedo marques ; Marco Aurelio Guimarães ; Ricardo de Carvalho Cavalli
Assunto(s):Transtornos mentais  Mortalidade  Estudos de coortes  Técnicas de estimativa 

Resumo

Os transtornos mentais são responsáveis por significativa proporção da carga global de doenças. No entanto, as estimativas de "anos de vida perdidos ajustados por incapacidade" e de "anos de vida perdidos" são subestimadas em função de falta de dados de boa qualidade sobre a mortalidade associada aos transtornos mentais, especialmente em países de renda média e baixa. O presente projeto tem como objetivos estimar a mortalidade geral e por grupos de causas específicas em pessoas com distintos grupos de transtornos mentais (psicoses, transtornos afetivos, transtornos por uso de substâncias, transtornos de personalidade), comparar as taxas de mortalidade obtidas com as taxas observadas na população geral e identificar grupos de pessoas com transtornos mentais com maior vulnerabilidade para óbito. Serão utilizados 4 bancos de dados de pessoas com características distintas: 1) incidência de primeiro episódio psicótico na região de Ribeirão Preto, SP; 2) registro de primeiras internações psiquiátricas na região de Ribeirão Preto, SP; 3) sistema de Informação em saúde mental do XIII Departamento Regional de Saúde do Estado de São Paulo (SISAM-13); e 4) depressão perinatal e mortalidade materno-infantil. Os bancos passarão por processo de 'linkage' com os bancos de mortalidade da Fundação SEADE, para compor coortes que permitirão investigar os objetivos propostos. Serão estimadas taxas de mortalidade geral e por grupos de causas específicas em cada coorte. As taxas de mortalidade obtidas serão comparadas com as da população geral, através de método de padronização indireta. Serão estimados valores de "anos de vida perdidos ajustados por incapacidade" e de "anos de vida perdidos" a partir dos resultados obtidos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em epidemiologia psiquiátrica na USP com Bolsa da FAPESP 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.