Busca avançada

INCT 2014: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de bioanalítica

Processo: 14/50867-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de julho de 2017 - 30 de junho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:Lauro Tatsuo Kubota
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Auro Atsushi Tanaka ; Emanuel Carrilho ; Érico Marlon de Moraes Flores ; Lucio Angnes ; Marco Aurelio Zezzi Arruda ; MARÍLIA OLIVEIRA FONSEC GOULART ; Ronei Jesus Poppi ; Wendel Andrade Alves
Assunto(s):Métodos bioanalíticos 

Resumo

A Química Analítica, nos últimos anos, tem direcionado grandes esforços no desenvolvimento de métodos analíticos voltados para a análise de amostras e/ou analitos de interesse biológico. O grande impacto das pesquisas nesta área proporcionou uma corrida ao desenvolvimento de métodos de análises químicas de substâncias de organismos vivos. Com o engajamento de químicos analíticos no desenvolvimento de métodos para fins biológicos, bioquímicos e clínicos, verificou-se um aumento muito grande de trabalhos na área, bem como o surgimento de grupos de pesquisas trabalhando especificamente na área de análises de amostras biológicas. A importância destes trabalhos levou ao nascimento da área de bioanalítica, como um grande foco de atuação de químicos analíticos. No país, entretanto, a bioanalítica ainda é bastante incipiente e alguns pesquisadores trabalham com diferentes técnicas analíticas para desenvolver métodos de bioanálise, embora esta área seja de grande importância estratégica para o país. Mesmo diante desta importância estratégica, muito pouco tem sido feito para desenvolver ferramentas analíticas para diagnóstico de doenças, distúrbios, ação farmacológica, entre outros. Foi neste contexto que o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioanalítica - INCTBio foi criado em 2009, com o objetivo de realizar trabalhos coordenados com trocas de informações entre pesquisadores de diferentes áreas de atuação para buscar a consolidação da área no país. Dentre as preocupações na criação do instituto de bioanalítica, havia a formação de recursos humanos e a difusão da área na sociedade, bem como a transferência para a sociedade dos benefícios proporcionados com o desenvolvimento de ferramentas analíticas para a melhoria da qualidade de vida, seja na especiação de moléculas biológicas de interesse, no desenvolvimento de métodos analíticos que possam fornecer resultados rápidos e muitas vezes em tempo real, ou na utilização de ferramentas matemáticas quando for necessária a interpretação de dados complexos, entre outras descritas no detalhamento das linhas de pesquisas inseridas nesta proposta. Durante os últimos 05 anos de existência do INCTBio, a equipe contou com a parceria e colaboração de 39 pesquisadores de 22 instituições diferentes. Inicialmente, buscou-se selecionar os melhores pesquisadores para integrar a equipe, levando-se em consideração a questão regional, instituições e pesquisadores jovens. Uma das metas da equipe foi a consolidação e o fortalecimento de grupos jovens e instituições recentes sem grande tradição de pesquisa. Hoje, estes grupos foram consolidados e muitos se tornaram referência em bioanalítica no país, impulsionando o desenvolvimento da ciência em regiões antes esquecidas no cenário cientifico. O desenvolvimento dos projetos dentro do INCTBio foi se adequando as necessidades emergentes, com foco no interesse estratégico do país, como foi ressaltado pelo assessor do quarto relatório: “Frente ao fato de que a equipe do projeto inclui a maioria dos expoentes da Química Analítica Instrumental do país, tanto no emprego de técnicas e equipamentos de última geração, como no desenvolvimento de dispositivos e métodos patenteáveis para análises clinicas de interesse nacional, não surpreende o fato de o quarto relatório comprovar importantes avanços no projeto original e apontar novas pesquisas na área mais biológica (metabolômica) e descobertas decorrentes dos trabalhos já realizados e publicados”. A produção científica do instituto nestes 05 anos foi extremamente intensa, sendo “admirável” nas palavras do assessor. Ao todo foram publicados 563 artigos (sem considerar os artigos de 2014-2015), e destes, 66 foram em revistas nacionais e 497 em revistas internacionais. Vale ressaltar que o número de artigos publicados seguiu uma ascendente, ano a ano, apresentando um aumento superior a 400%, passando de 46 artigos em 2009 para 200 artigos em 2013, tendo um fator de impacto médio de todas as publicações de 3,1. A formação de recursos humanos foi um dos principais pontos de interesse do Instituto, permitindo que a bioanalítica se tornasse uma área sólida e forte no país, garantindo a continuidade do desenvolvimento científico nesta área estratégica, e citando novamente o assessor do quanto relatório: “Sem dúvida, a produção científica do grupo de pesquisadores do INCTBio é admirável. Neste relatório, apontam a publicação de 259 artigos em revistas de médio e alto impacto nas áreas de Química Analítica, Materiais e Biotecnologia, 05 patentes requeridas, quase 200 participações em congressos nacionais e internacionais, 09 capítulos de livros e 12 prêmios. Foram firmados 04 projetos junto a empresas e o convênio com o INC-DF”. Além das produções já mencionadas, o INCTBio contribuiu com 10 capítulos de livros, 08 patentes e produtos foram requeridas e 02 licenciadas, e recebeu 12 prêmios. Neste período de 2009 a 2013, o INCTBio formou 110 especialistas na área de bioanalítica, sendo 67 mestres e 43 doutores, e além destes, contou com a colaboração de aproximadamente 50 pós-doutores e contribuiu com a formação acadêmica de 112 alunos de iniciação científica, atraindo cada vez mais alunos de pós-graduação para este tema. A divulgação da bioanalítica durante estes 05 anos deu-se no meio acadêmico através de diversas formas: o INCTBio ministrou 24 cursos para alunos de graduação e pós-graduação; ofereceu 177 palestras/seminários nas instituições participantes; e ministrou 08 disciplinas oferecidas nos cursos de pós-graduação; além da apresentação de 470 trabalhos (pôster/oral) em congressos científicos nacionais e internacionais. Também foram realizados alguns trabalhos no intuito de divulgar e popularizar a Ciência no Brasil, com o oferecimento de 07 oficinas de ciências e 01 oficina de bioanalítica. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ARAUJO, FAUSTO M.; SANTOS, MELLINA D. R.; DE OLIVEIRA, MARCONE A. L.; MATOS, RENATO C.; MATOS, MARIA. A. C. Box-Behnken design applied to optimize the ultrasound-assisted extraction of petroleum biomarkers in river sediment samples using green analytical chemistry. ANALYTICAL METHODS, v. 9, n. 40, p. 5859-5867, OCT 28 2017. Citações Web of Science: 0.
SOUZA, MARCIA I.; PRIETO, TATIANA; RODRIGUES, TIAGO; FERREIRA, FABIO F.; NASCIMENTO, FRANCISCO B.; RIBEIRO, ANDERSON O.; SILVA, EMERSON R.; GIUNTINI, FRANCESCA; ALVES, WENDEL A. Conjugation with L, L-diphenylalanine Self-Assemblies Enhances In Vitro Antitumor Activity of Phthalocyanine Photosensitizer. SCIENTIFIC REPORTS, v. 7, OCT 13 2017. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.