Busca avançada

Ação do hormônio do crescimento no sistema nervoso: relevância para as funções neurais e na doença

Processo: 17/02983-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de agosto de 2017 - 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Jose Donato Junior
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:Carlos Roberto Jorge Soares ; Cibele Nunes Peroni ; FERNANDA GUARINO DE FELICE ; Martin Andreas Metzger ; Monica Levy Andersen ; Paolo Bartolini ; Renata Frazão ; Thiago dos Santos Moreira
Auxílios(s) vinculado(s):17/18972-0 - EMU concedido no projeto 17/02983-2: equipamento compacto de ressonância magnética minispec LF50, AP.EMU
Assunto(s):Hipotálamo  Neurofisiologia  Citocinas  Obesidade  Balanço de energia  Leptina 

Resumo

O GH é o fator mais abundante secretado pela glândula hipófise e desempenha importante papel controlando o crescimento somático e tecidual, bem como a proliferação e diferenciação celular. Apesar da presença do receptor de GH (GHR) no encéfalo, pouco se sabe a respeito dos efeitos deste hormônio sobre esse tecido. Assim, propomos no presente projeto que o GH tem um papel previamente não reconhecido no sistema nervoso. Nossa hipótese é que o encéfalo possa mediar importantes aspectos dos efeitos biológicos do GH, particularmente sobre o metabolismo. Portanto, o objetivo do presente projeto é investigar a importância da sinalização do GH no sistema nervoso, por meio da manipulação da expressão do GHR, em populações específicas de neurônios. Para tanto, iremos utilizar camundongos do sistema Cre/loxP que permitem inativar o GHR ou sua principal via de sinalização intracelular, o STAT5, em populações neuronais de interesse. Iremos produzir camundongos com inativação seletiva do GHR e/ou STAT5 em todo sistema nervoso, em células que expressam o receptor de leptina, em neurônios do núcleo ventromedial do hipotálamo (SF1 positivas) e em neurônios que expressam AgRP, orexina ou tirosina hidroxilase. Esses diferentes modelos serão estudados em 14 subprojetos que visam investigar a importância da sinalização central do GH em múltiplas funções neurológicas, incluindo o controle do metabolismo, cognição, ciclo vigília-sono, memória/aprendizagem, comportamentos, emoções/motivação, bem como em funções neurovegetativas e neuroendócrinas. Os experimentos propostos poderão gerar resultados inéditos na literatura, os quais possivelmente mudarão concepções sobre a função e os mecanismos de ação do GH. (AU)