Busca avançada

Mudanças climáticas e eficiência energética na agricultura: um enfoque em estresse hídrico, manejo orgânico e biologia do solo

Processo: 16/18944-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de julho de 2017 - 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Elke Jurandy Bran Nogueira Cardoso
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Itamar Soares de Melo
Pesq. associados: Agnes Amandine Robin ; Carlos Eduardo Pellegrino Cerri ; Cristina Maria Nobre Sobral de Vilhena da Cruz Houghton ; Fernando Dini Andreote ; Marcilio de Almeida ; Marco Antonio Nogueira ; Paulo Roger Lopes Alves ; Paulo Sergio Pavinato ; Rogério Melloni ; Ruth Rebeca Bonilla Buitrago ; Sergio Kenji Homma
Assunto(s):Cana-de-açúcar  Agricultura orgânica  Milho  Biologia do solo 

Resumo

A agricultura é o pilar central da estrutura social humana. Sobre esta atividade reside a geração de alimentos, energia, vestuário e muitos outros produtos essenciais à sociedade. No entanto, esta atividade pode também atuar como agente causal de importantes alterações ambientais, como a contaminação do solo com os insumos agrícolas (agrotóxicos e fertilizantes) e a emissão de gases causadores do efeito estufa (GEE). Diante deste cenário, a busca por práticas agrícolas que minimizem estes efeitos é desejada pela sociedade. Devido à sua redução no uso de insumos agrícolas industriais a agricultura orgânica e a adição de matéria orgânica ao solo vem se destacando para a comunidade internacional. Dentre as preocupações desta prática destacam-se a padronização do uso da Matéria Orgânica (MO) e a redução na emissão dos GEE. Contudo, maior atenção a estudos sobre a biologia do solo ainda é necessária para uma melhor compreensão da ciclagem desta MO, especialmente em solos tropicais. Como uma segunda preocupação para o ambiente agrícola, surge a preocupação com os efeitos climáticos, como por exemplo, o estresse hídrico ocasionado pelo crescente regime de seca no cenário do clima mundial e brasileiro. Neste contexto, o manejo da microbiota do solo com o uso de consórcios microbianos xerófilos surgem como uma proposta promissora para minimizar as perdas de produtividade agrícola por causa da seca. A presente proposta tem como objetivo otimizar métodos de manejos da matéria orgânica eficazes, assim como, testar consórcios microbianos que minimizem os efeitos do estresse hídrico. Portanto, de forma inovadora, este projeto visa contemplar uma melhor compreensão da comunidade microbiana em ambientes agrícolas orgânicos otimizando processos para uma eficiência energética e tolerância ao estresse hídrico. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em Microbiologia do Solo com Bolsa da FAPESP