Busca avançada

Trypanosoma cruzi: variabilidade genômica intra- e interespecífica e mecanismos de invasão/evasão celular

Processo: 16/15000-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de junho de 2017 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Renato Arruda Mortara
Beneficiário:
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Pesquisadores principais: ; Nobuko Yoshida
Pesq. associados:Esteban Mauricio Cordero Veas ; Marjorie Mendes Marini e Souza ; Renata Torres de Souza
Assunto(s):Trypanosoma cruzi 

Resumo

A infecção por Trypanosoma cruzi, agente causal da Doença de Chagas, constitui ainda um problema de saúde pública nos países da América Latina, onde vive a maioria dos indivíduos infectados, e em diversas regiões onde a doença não é endêmica, como nos Estados Unidos, Europa, Japão e Austrália, há preocupação crescente sobre riscos de transmissão do parasita por transfusão sanguínea. Visto que o táxon T. cruzi compreende populações geneticamente heterogêneas, podendo apresentar diferenças consideráveis em suas características genotípicas e fenotípicas, e distintos padrões de infectividade, entender as bases moleculares dessa variabilidade é um grande desafio. Neste projeto, propomos investigar o polimorfismo cromossômico e variação na ploidia, que poderiam fazer parte do arsenal usado pelo parasita para responder à pressão ambiental, utilizando cepas de diferentes linhagens de T. cruzi. Os efeitos da radiação ionizante sobre a organização cromossômica de T. cruzi e geração de eventos de recombinação capazes de alterar o cariótipo e ploidia, contribuindo para a diversidade genética do parasita, serão examinados. A evolução cromossômica de parasitas do clado Schizotrypanum (T. cruzi e T. cruzi-like), que inclui tripanossomas patogênicos e não patogênicos de mamíferos da América do Sul, será estudada comparando o cariótipo e o genoma de diferentes espécies. Para tentar esclarecer os mecanismos de invasão celular de formas tripomastigotas metacíclicas e amastigotas extracelulares de T. cruzi, que diferem nos repertórios de moléculas que interagem com a célula hospedeira, diversas estratégias e metodologias serão empregadas, incluindo a técnica inovadora de edição genômica com CRISPR-Cas9. Componentes do citoesqueleto das células alvo, assim como possíveis receptores para moléculas de superfície do T. cruzi, e microvesículas liberadas pelos parasitas, cuja importância crescente vem sendo evidenciada em trabalhos com tripomastigotas de cultura de tecido, serão objetos de nosso estudo. Coinfecções com diferentes cepas, para elucidar mecanismos de egresso dos parasitas das células infectadas, serão também analisadas. Este projeto multidisciplinar será desenvolvido por pesquisadores com ampla experiência em Protozoologia, com ênfase em Biologia Molecular, e que colaboram de maneira produtiva há vários anos. Com a colaboração de pesquisadores no Brasil e no exterior, pretendemos contribuir para o avanço do conhecimento sobre os temas propostos. (AU)