Busca avançada

Diversidade genômica dos nativos americanos

Processo: 15/26875-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de junho de 2017 - 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Tábita Hünemeier
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:David Comas ; Fabrício Rodrigues dos Santos ; Francisco Mauro Salzano
Assunto(s):Sequenciamento genético  Variação genética  Técnicas de genotipagem  Genomas  Evolução  Miscigenação  Índios norte-americanos 

Resumo

As populações nativas americanas são o grupo humano menos estudado da atualidade no que se refere a sua variabilidade genética. Embora estudos com varredura genômica tenham ajudado a melhor conhecer as populações nativas da América, as plataformas de genotipagem dessa técnica são baseadas na variação já descrita de populações africanas, asiáticas e europeias, não levando em consideração a variabilidade nativo americana, justamente pela falta de genomas de referência a serem usados. Essa falta de informação tem grandes implicações em estudos médicos, dado que a maioria dos grandes estudos de caso-controle conduzidos hoje utilizam plataformas convencionais de varredura genômica que não são adequadas para ensaios em populações que apresentem grande componente nativo americano, como é o caso de países como México, Peru e algumas regiões do Brasil. O mais abrangente projeto de genomas humanos (The 1000 Genomes Project) não inclui nem prevê o estudo de populações nativo americanas, aumentando ainda mais a negligência do ponto de vista genético na geração de informação sobre esses povos. O presente projeto se propõe a preencher essa lacuna, visando o sequenciamento de 65 genomas completos de indivíduos de populações nativo americanas, a fim de desvendar a variabilidade genômica total dessas populações, estabelecer os processos evolutivos envolvidos na geração e manutenção dessa diversidade e auxiliar na criação de métodos de alta-fidelidade para estudos clínicos envolvendo populações miscigenadas e nativo americanas. (AU)