Busca avançada

Christopher Joseph Millett | Imperial College London - Inglaterra

Processo: 16/50437-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 01 de agosto de 2017 - 31 de janeiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Convênio/Acordo: British Council e Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil
Pesquisador responsável:Carlos Augusto Monteiro
Beneficiário:
Pesquisador visitante: Christopher Joseph Millett
Inst. do pesquisador visitante: Imperial College London, Inglaterra
Pesq. responsável no exterior: Christopher Joseph Millett
Instituição no exterior: Imperial College London, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Alimentos processados  Cardiometabólica  Intercâmbio de pesquisadores  Cooperação internacional 

Resumo

Solicito financiamento da FAPESP para voltar ao Brasil por 6 meses a partir de agosto de 2017. Este período será dedicado à realização de um estudo longitudinal para avaliar a associação entre o consumo de alimentos ultraprocessados e desfechos cardio-metabólicos em 10 países europeus, EPIC (ver anexo). Este trabalho irá contribuir para o projeto temático da FAPESP (consumo de alimentos ultraprocessados, perfil nutricional e obesidade em sete países), do qual eu sou o co-pesquisador baseado no Reino Unido. Estudos anteriores demonstraram que os alimentos ultraprocessados têm um perfil nutricional extremamente obesogênico e, quando comparados a alimentos minimamente processados, possuem maior densidade energética, maior teor de açúcares livres e maior teor de gordura. Nosso projeto temático da FAPESP reforça a base de evidências, testando se associações entre o consumo de alimentos ultraprocessados e obesidade são consistentes em sete países diferentes. No entanto, ainda não foram realizados estudos prospectivos de coorte para avaliar associações longitudinais entre a ingestão de alimentos ultraprocessados e obesidade em adultos. Esta é uma importante lacuna do conhecimento, uma vez que estudos baseados em dados transversais geralmente impedem a inferência causal. Isso pode restringir ações políticas eficazes. A estadia de seis meses no Brasil será necessária para realizar a investigação. O estudo irá requerer a experiência dentro do Centro de Estudos Epidemiol6gicos em Saúde e Nutrição da USP para codificar o consumo de alimentos ultraprocessados usando Questionários de Frequência Alimentar. Esta é uma tarefa altamente técnica que o grupo da USP possui considerável experiência, tendo aplicado em vários estudos, em diversos bancos de dados. A tarefa é complicada pelo fato de os QFAs utilizados no estudo EPIC diferirem ligeiramente entre os países e ao longo do tempo. O desenvolvimento da pesquisa no Brasil, em vez de no Reino Unido, irá proporcionar benefícios para a equipe de pesquisa da USP, que possui ainda pouca experiência com análise de grandes estudos de coorte. Eu trago uma vasta experiência de utilização de grandes dados de estudo de coorte para avaliação de políticas no Reino Unido e em outros locais. Irei trabalhar em estreita colaboração com 2 pesquisadores de pós-doutorado no projeto, para aprofundar suas capacidades de investigação e habilidades nesta área. (AU)