Auxílio à pesquisa 16/04729-3 - Micologia médica, Micoses - BV FAPESP
Busca avançada
Ano de início
Entree

Bases celulares da resposta imune na cromoblastomicose e esporotricose: implicações para terapia vacinal

Processo: 16/04729-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Sandro Rogerio de Almeida
Beneficiário:Sandro Rogerio de Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:Karen Spadari Ferreira
Auxílios(s) vinculado(s):17/13722-5 - Nucleação na USP do INCT 2016 "infecções fúngicas emergentes" - núcleo esporotricose, AV.BR
Bolsa(s) vinculada(s):18/07073-7 - Determinação dos mecanismos inatos e adaptativos no reconhecimento do Sporothrix brasiliensis por macrófagos e células dendríticas, BP.PD
Assunto(s):Micologia médica  Micoses  Esporotricose  Cromoblastomicose  Imunologia celular  Resposta imune  Vacinas 

Resumo

Nas últimas décadas, observou-se um aumento na incidência de infecções fúngicas. Isso ocorreu, em virtude, principalmente de intervenções médicas invasivas, longos períodos de hospitalização e aumento do número de pacientes imunocomprometidos, devido a doenças infecciosas tais como HIV, ou tratamentos, que induzam imunodeficiência, tais como imunossupressores e medicamentos utilizados no tratamento de câncer. Nesse contexto, os fungos causadores de micoses subcutâneas, como o Fonseacaea pedrosoi e Sporothrix brasiliensis vêm ganhando destacada importância clínica devido ao seu caráter refratário às abordagens terapêuticas atuais e ao acometimento de imunossuprimidos, nos quais a patologia é mais grave. Grande parte deste quadro deve-se ao pouco conhecimento que se tem sobre os mecanismos imunopatológicos envolvidos nas doenças, o que dificulta a compreensão das mesmas, a elaboração de novas estratégias terapêuticas e a detecção de possíveis alvos farmacológicos. Os mecanismos imunológicos de defesa contra o Sporothrix brasiliensis e F. pedrosoi não estão bem estabelecidos, porém a resposta imunológica do hospedeiro tem um papel determinante na evolução dessas doenças. Sabendo que as células do sistema imune inato como; macrófagos, neutrófilos e células dendríticas são importantes contra diversos patógenos, incluindo os fungos, propomos elucidar suas funções na cromoblastomicose e esporotricose. Por outro lado, surge também o interesse em mapear e sequenciar antígenos dos principais agentes etiológicos da cromoblastomicose e esporotricose; o F. pedrosoi e Sporotrix brasiliensis, pois a partir do conhecimento de antígenos reativos podemos dar início a estudos que alcancem até mesmo um tratamento imunológico para estas micoses. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em Micologia na USP com Bolsa da FAPESP 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FOGACA DE ALMEIDA, JOSE ROBERTO; JANNUZZI, GRASIELLE PEREIRA; KAIHAMI, GILBERTO HIDEO; DANTAS BREDA, LEANDRO CARVALHO; FERREIRA, KAREN SPADARI; DE ALMEIDA, SANDRO ROGERIO. An immunoproteomic approach revealing peptides from Sporothrix brasiliensis that induce a cellular immune response in subcutaneous sporotrichosis. SCIENTIFIC REPORTS, v. 8, MAR 8 2018. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.