Busca avançada

Avaliação dos mecanismos exógenos e endógenos que influenciam a variabilidade dos hidrocarbonetos cuticulares em insetos sociais neotropicais

Processo: 15/25301-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Comportamento Animal
Pesquisador responsável:Fábio Santos do Nascimento
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Pesq. associados:Aline Candida Ribeiro Andrade e Silva ; Ivelize Cunha Tannure-Nascimento
Bolsa(s) vinculada(s):17/05979-6 - Efeito da aplicação tópica dos análogos de hormônios Methoprene e Precocene na variação dos hidrocarbonetos cuticulares e desenvolvimento ovariano em operárias de Polybia occidentalis (Hymenoptera: Vespidae, Epiponini), BP.TT
16/21286-8 - Efeito da aplicação tópica dos análogos de hormônios Methoprene e Precocene na variação dos hidrocarbonetos cuticulares e desenvolvimento ovariano em operárias de Polybia occidentalis (Hymenoptera: Vespidae, Epiponini), BP.TT
16/08761-9 - Relação entre os hidrocarbonetos cuticulares e as castas de vespas sociais neotropicais (Hymenoptera: Vespidae, Polistinae), BP.TT
Assunto(s):Evolução social  Sociobiologia  Ecologia química 

Resumo

Hidrocarbonetos cuticulares são os principais componentes químicos estudados atualmente na comunicação em insetos sociais. Essas substâncias vêm sendo indicadas como um dos compostos responsáveis pelo reconhecimento de companheiras de ninho, além de estarem envolvidos em muitos outros processos comportamentais. O conhecimento sobre o envolvimento dos hidrocarbonetos cuticulares mediando processos comportamentais é mais bem estudado entre espécies de formigas, abelhas e vespas sociais de regiões temperadas. As vespas sociai (Polistinae), formigas Ponerinae e abelhas do gênero Euglossa que estão na distribuídas na Região Neotropical são organismos importantes para o conhecimento da evolução do comportamento social por apresentam vários graus de socialidade (de espécies solitárias a eussociais) e variações quanto à fisiologia e morfologia. Esses insetos apresentam grande variabilidade em termos de comportamento social, com colônias temporárias a perenes, fundação solitária à formação de enxames, além de uma condição sinapomórfica de ausência de diferenciação de castas a uma conspícua variação morfológica entre castas, o que os tornam candidatos ideais para se entender os mecanismos que promovem a variabilidade química cuticular dos indivíduos e das colônias. Desta maneira, a investigação dos perfis químicos de hidrocarbonetos cuticulares associados com dados de reprodução, fisiologia e análises comparativas seguramente fornecerão importantes informações em relação à relevância dos compostos na organização destas sociedades e na relação filogenética entre os táxons envolvidos. Esta proposta é motivada pela continuidade de um projeto Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes finalizado (proc. 2010/10027-5) que possibilitou a criação de uma bem sucedida linha de investigação sobre mediadores comportamentais e sinalização química em insetos sociais na instituição. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Nascimento de crias indesejáveis causa a morte de rainhas de abelhas sem ferrão 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
A linguagem química dos insetos 

Publicações científicas (8)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GRUTER, CHRISTOPH; SEGERS, FRANCISCA H. I. D.; SANTOS, LUANA L. G.; HAMMEL, BENEDIKT; ZIMMERMANN, UWE; NASCIMENTO, FABIO S. Enemy recognition is linked to soldier size in a polymorphic stingless bee. BIOLOGY LETTERS, v. 13, n. 10 OCT 1 2017. Citações Web of Science: 0.
DE SOUZA, ANDRE RODRIGUES; MARQUES TEIXEIRA, GABRAZANE VENANCIO; DO NASCIMENTO, FABIO SANTOS. Individually distinctive facial patterning without a signal value: a case of `missing' social knowledge in the paper wasp Polistes versicolor?. BEHAVIORAL ECOLOGY AND SOCIOBIOLOGY, v. 71, n. 10 OCT 2017. Citações Web of Science: 0.
DE SOUZA, ANDRE RODRIGUES; LINO-NETO, JOSE; DO NASCIMENTO, FABIO SANTOS. Pushing Wasps to Work: Decentralized Aggression Induces Increased Activity in the Paper Wasp Polistes versicolor. Journal of Insect Behavior, v. 30, n. 4, p. 360-373, JUL 2017. Citações Web of Science: 0.
PEREIRA SOARES, EVA RAMONA; BATISTA, NATHAN RODRIGUES; SOUZA, RAFAEL DA SILVA; TORRES, VIVIANA DE OLIVEIRA; LIMA CARDOSO, CLAUDIA ANDREA; NASCIMENTO, FABIO SANTOS; ANTONIALLI-JUNIOR, WILLIAM FERNANDO. Variation of cuticular chemical compounds in three species of Mischocyttarus (Hymenoptera: Vespidae) eusocial wasps. Revista Brasileira de Entomologia, v. 61, n. 3, p. 224-231, JUL-SEP 2017. Citações Web of Science: 0.
OLIVEIRA, RICARDO CALIARI; VOLLET-NETO, AYRTON; OI, CINTIA AKEMI; VAN ZWEDEN, JELLE S.; NASCIMENTO, FABIO; BRENT, COLIN SULLIVAN; WENSELEERS, TOM. Hormonal pleiotropy helps maintain queen signal honesty in a highly eusocial wasp. SCIENTIFIC REPORTS, v. 7, MAY 10 2017. Citações Web of Science: 1.
FERREIRA-CALIMAN, M. J.; GALASCHI-TEIXEIRA, J. S.; DO NASCIMENTO, F. S. A scientific note on reproductive diapause in Melipona marginata. Insectes Sociaux, v. 64, n. 2, p. 297-301, MAY 2017. Citações Web of Science: 0.
SANTOS, A. B.; NASCIMENTO, F. S. Do Distinct Biomes Influence the Cuticular Chemical Profile in Orchid Bees?. ENVIRONMENTAL ENTOMOLOGY, v. 46, n. 2, p. 335-342, APR 2017. Citações Web of Science: 0.
VOLLET-NETO, AYRTON; OLIVEIRA, RICARDO C.; SCHILLEWAERT, SHARON; ALVES, DENISE A.; WENSELEERS, TOM; NASCIMENTO, FABIO S.; IMPERATRIZ-FONSECA, VERA L.; RATNIEKS, FRANCIS L. W. Diploid Male Production Results in Queen Death in the Stingless Bee Scaptotrigona depilis. Journal of Chemical Ecology, v. 43, n. 4, p. 403-410, APR 2017. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.