Busca avançada

As bacias do Pantanal, Chaco e Paraná (PCPB): evolução e estrutura sísmica da crosta e manto superior

Processo: 13/24215-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de setembro de 2015 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Marcelo Sousa de Assumpção
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Icaro Vitorello
Pesq. associados: Andreas Rietbrock ; Antonio Conceição Paranhos Filho ; Antonio Lopes Padilha ; Edna Maria Facincani ; João Carlos Dourado ; Jordi Julià Casas ; José Marcato Junior ; Marcelo Belentani de Bianchi ; Marcelo Peres Rocha ; Marcus Vinicius Aparecido Gomes de Lima ; Mario Luis Assine ; Martin Schimmel ; Suzan van der Lee ; Victor Sacek
Bolsa(s) vinculada(s):17/10554-4 - Evolução do campo de esforços na litosfera: uma abordagem numérica, BP.DR
16/20952-4 - Tomografia de ruído ambiental nas bacias do Pantanal e Paraná, BP.PD
16/13297-0 - Sismicidade e estudos de mecanismo focal, BP.PD
+ mais bolsas vinculadas 16/11117-4 - Modelagem numérica das tensões no interior da litosfera continental, BP.IC
16/12589-7 - Monitoramento de sismicidade local e regional, BP.IC
16/03120-5 - Tomografia de forma de onda na América do Sul com os métodos de elementos espectrais e adjuntos, BP.DD
16/04433-7 - Tomografia regional de tempos de percurso para ondas p e s, BP.IC
15/17173-0 - Monitoramento e processamento de dados GNSS, BP.TT - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Sismologia  Geodésia  Litosfera  Sismicidade  Tomografia 

Resumo

A estrutura da crosta e manto superior sob três grandes bacias sedimentares (Pantanal, Chaco e Paraná) será estudada instalando-se ~40 estações sismográficas temporárias. Junto com as estações permanentes da Rede Sismográfica Brasileira, um total de ~60 estações será usado em diferentes estudos tomográficos para melhorar nosso conhecimento dos processos do manto terrestre e da evolução de bacias sedimentares.Este projeto multi-nacional tem parceiros da Bolívia (Observatório San Calixto), Paraguai (Universidad Nacional), Argentina (INPRES, e Universidad de La Plata) e Uruguai (Universidad de la Republica) cooperando na instalação das estações e na análise dos dados. Parceiros de outras universidades do Brasil (IPT, UnB, UFRN, UFMS, UNESP, e Unipampa) e do exterior (Northwestern University, USA; Liverpool e Royal Holloway London, UK; CSIC, Barcelona, Espanha) também colaborarão nos trabalhos de istalação e análise. Além dos estudos sismológicos, estudos de geodésia de alta precisão serão feitos pelo INPE para a) medir a deformação interna da placa Sul-Americana, e b) inferir propriedades reológicas da litosfera e contribuir para a interpretação das estruturas da crosta e do manto superior. Modelagem numérica do fluxo mantélico ajudará a entender como a convecção e a movimentação das placas afetam o comportamento da crosta, e podem provocar topografia dinâmica, subsidência, e tensões sismogênicas. Os equipmentos a serem instalados na rede temporária virão de a) 20 novas estações a serem compradas pelo Projeto, b) 20 emprestadas pelo Pool de Equipamentos Geofísicos (gerenciado pelo Observatório Nacional, Rio de Janeiro), e c) 10 emprestadas pela Universidade de Liverpool. O INPE instalará 15 novas estações GNSS and fará manutenção das outras estações existentes da Rede Brasileira de GNSS. O Project solicita compra de novos equipamentos sísmicos e alguns equipamentos de apoio, custeio de trabalho de campo (tanto para instalar estações temporárias como para manutenção da rede permanente), viagens de intercâmbio de estudantes e pesquisadores para colaboração com os parceiros dos países vizinhos, assim como com NWU, RHWL, Liverpool e CSIC. Bolsas de estudo para IC (3), DD (2), e PD (3) também são solicitadas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisadores elaboram novo mapa de ameaça sísmica do Brasil 
Pós-Doutorado em Geodésia e Tectonofísica no Inpe 
Pós-Doutorado em Geociências com Bolsa da FAPESP