FAPESP Logo

Estudo epidemiológico da dengue (sorotipos 1 a 4) em coorte prospectiva de São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil, durante 2014 a 2018

Processo: 13/21719-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de junho de 2015 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Maurício Lacerda Nogueira
Beneficiário:
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Francisco Chiaravalloti Neto
Pesq. associados:João Pessoa Araújo Junior ; Margareth Regina Dibo ; Mauro Martins Teixeira ; Erna Geessien Kroon
Bolsa(s) vinculada(s):16/16344-9 - Caracterização clínica e neuropsiquiátrica de pacientes diagnosticados com dengue após infecção aguda em São José do Rio Preto, durante o ano de 2016, BP.IC
15/12310-0 - Caracterização clínico-laboratorial de pacientes diagnosticados com dengue, Chikungunya e Zika entre pacientes com sintomatologia suspeita em coorte em São José do Rio Preto, durante o ano de 2016, BP.IC
16/07921-2 - Estudo epidemiológico da dengue (sorotipos 1 a 4), Zika e chickungunya em coorte prospectiva de São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil, durante 2014 a 2018, BP.TT
15/12295-0 - Diagnóstico de arboviroses brasileiras e emergentes em pacientes e mosquitos em duas regiões distintas do Brasil, BP.PD
15/22750-7 - Avaliação de diferenças de fitness viral e epidemiológico entre duas linhagens de Dengue sorotipo 1 co-circulantes de 2010 a 2012 em São José do Rio Preto, SP, BP.DD
Assunto(s):

Virologia

Dengue grave

Febre hemorrágica da dengue

Aedes aegypti

Vírus da dengue

Vírus Zika

Estudos de coortes

Resumo
A Dengue é uma doença infecciosa viral e uma das mais importantes arboviroses do mundo. O vírus é mantido em um ciclo de transmissão urbana: homem - mosquito - homem e o controle do vetor é uma das mais utilizadas estratégias de prevenção. Estudos de Dengue, frequentemente só consideram os casos notificados sem agrupar dados referentes às epidemias passadas. Através de um estudo de coorte domiciliar prospectivo, com duração de cinco anos, serão estimadas as principais medidas de frequência da doença em determinado bairro do município de São José do Rio Preto, no Estado de São Paulo, Brasil. Serão realizados estudos relacionados á População Participante do Estudo, através de levantamento epidemiológico e sorológico, identificando fatores de risco e avaliação do conhecimento e práticas da população; à interação Vírus x Hospedeiro, através de observação de sintomatologia e evolução da doença, da presença de anticorpos e suas classes, da presença de polimorfismos específicos na indução de doença grave e dos demais fatores relacionados à essa indução; ao Vírus, identificando os sorotipos circulantes, suas características genéticas e sua capacidade de inibir a produção de Interferon; e ao Vetor, através da captura e identificação dos mosquitos, do conhecimento de seu comportamento, da correlação de dados meteriológicos com a presença do vetor e dos fatores de risco relacionados à presença dos mosquitos. Esses estudos envolverão laboratórios de centro de pesquisa em Dengue do Brasil e colaboradores dos centros de pesquisa no EUA e terão como centro de referência e interligação o Laboratório de Pesquisa em Virologia, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto/FAMERP, que receberá as amostras colhidas em parceria com a prefeitura e os serviços de saúde do município. (AU)
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
Zika pode lesar o cérebro de bebês mesmo no fim da gestação

Publicações científicas (6)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TUKASAN, CAROLINE; FURLAN, NATHALIA BARBOSA; ESTOFOLETE, CASSIA FERNANDA; NOGUEIRA, MAURICIO LACERDA; DA SILVA, NATAL SANTOS. Evaluation of the importance of fever with respect to dengue prognosis according to the 2009 WHO classification: a retrospective study. BMC INFECTIOUS DISEASES, v. 17, JAN 4 2017. Citações Web of Science: 0.
FURLAN, NATHALIA BARBOSA; TUKASAN, CAROLINE; ESTOFOLETE, CASSIA FERNANDA; NOGUEIRA, MAURICIO LACERDA; DA SILVA, NATAL SANTOS. Low sensitivity of the tourniquet test for differential diagnosis of dengue: an analysis of 28,000 trials in patients. BMC INFECTIOUS DISEASES, v. 16, NOV 3 2016. Citações Web of Science: 0.
BITTAR, CINTIA; MACHADO, DAIANE CRISTINA; VEDOVELLO, DANILA; ULLMANN, LEILA SABRINA; RAHAL, PAULA; ARAUJO JUNIOR, JOAO PESSOA; NOGUEIRA, MAURICIO LACERDA. Genome sequencing and genetic characterization of Culex Flavirirus (CxFV) provides new information about its genotypes. VIROLOGY JOURNAL, v. 13, SEP 23 2016. Citações Web of Science: 0.
CARNEIRO, BRUNO M.; BATISTA, MARIANA N.; BRAGA, ANA CLAUDIA S.; NOGUEIRA, MAURICIO L.; RAHAL, PAULA. The green tea molecule EGCG inhibits Zika virus entry. VIROLOGY, v. 496, p. 215-218, SEP 2016. Citações Web of Science: 0.
ESTOFOLETE, CASSIA FERNANDA; BERNARDES TERZIAN, ANA CAROLINA; PARREIRA, RICARDO; ESTEVES, AIDA; HARDMAN, LUCAS; GREQUE, GILMAR VALDIR; RAHAL, PAULA; NOGUEIRA, MAURICIO LACERDA. Clinical and laboratory profile of Zika virus infection in dengue suspected patients: A case series. Journal of Clinical Virology, v. 81, p. 25-30, AUG 2016. Citações Web of Science: 2.
DE OLIVEIRA MOTA, MANLIO TASSO; RIBEIRO, MILENE ROCHA; VEDOVELLO, DANILA; NOGUEIRA, MAURCIO LACERDA. Mayaro virus: a neglected arbovirus of the Americas. FUTURE VIROLOGY, v. 10, n. 9, p. 1109-1122, 2015. Citações Web of Science: 1.
Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema:
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP