Auxílio à pesquisa 14/50990-0 - Insetos sociais, Urbanização - BV FAPESP
Busca avançada
Ano de início
Entree

As respostas dos ecossistemas à transformação urbana: o impacto da rápida urbanização sobre a demografia social em espécies ecologicamente significativas de insetos sociais

Processo: 14/50990-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2016 - 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Comportamento Animal
Convênio/Acordo: CONFAP ; Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil ; NERC, RCUK
Pesquisador responsável:Fábio Santos do Nascimento
Beneficiário:Fábio Santos do Nascimento
Pesq. responsável no exterior: Seirian Sumner
Instituição no exterior: University of Bristol, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Assunto(s):Insetos sociais  Urbanização  Demografia  Impactos ambientais  Doença de Chagas 

Resumo

o Programa do Grupo de Cooperação Internacional em Biodiversidade (ICBG) objetiva o estudo de tópicos interdependentes na descoberta de fármacos, conservação da biodiversidade e crescimento econômicos sustentável (http://www.icbg.org/). Nosso projeto ICBG fornece um time com liderança interdisciplinar de físicos, farmacologistas, biólogos evolucionistas e químicos que irão descobrir e desenvolver agentes terapêuticos produzidos por bactérias brasileiras. O projeto objetiva estudar questões relacionadas aos seguintes problemas: 1) doenças fúngicas infecciosas, 2) cânceres do sangue, e 3) doença de Chagas, todos os quais requerem urgentemente novos agentes terapêuticos. Doenças fúngicas invasivas são um desafio para a saúde pública e agora matam mais pessoas do que malária ou tuberculose. Apesar de maiores investimentos em quimioterapia do câncer, este pode matar 8 milhões de pessoas no mundo este ano (13% de todas as mortes, WHO) e uma estimativa de 13 milhões em 2030. Doença de Chagas impõe um desafio especial ao Brasil, pois possui metade da população paciente do mundo (4 milhões), e a doença mata tanto quanto a tuberculose. O ICBG tem focado e separado plataformas "screening" para todas as três doenças que podem desenvolver todos os passos requeridos dos screens primários por meio de estudos-modelo in vivo em camundongos. O ICBG irá focar em bactérias simbiontes de insetos sociais como, por exemplo, formigas cortadeiras, pois estes organismos possuem bactérias simbiontes especializadas que produzem defesas químicas contra fungos patogênicos que ameaçam suas comunidades. O papel ecológico das defesas químicas produzidas pelas bactérias contra fungos patogênicos, mas mantendo os jardins de fungos benéficos e hospedeiros de insetos, se adequa aos requerimentos terapêuticos para agentes anti-fúngicos, anti-câncer e anti-protozoários. A diversidade em nível populacional dos produtores bacterianos irá também fornecer variações múltiplas de uma família estrutural, a qual será útil como suporte de futuros estudos. Os esforços de novas descobertas serão extensivos na utilização de alta tecnologia e ferramentas genômicas. Bactérias serão micro-culturadas para estabelecimento de screens fenotípicos e prioridade de ativos serão re-culturados para screens secundários e de replicação. Todas as linhagens de bactérias serão genotipadas (16S) e arquitetura pipeline avançadas serão sequenciadas e sujeitas à análise bioinformática. Além disso, o ICBG produzirá esforços para catalogar a diversidade microbiana do Brasil, treinará cientistas brasileiros e dará suporte para o desenvolvimento de descobertas de medicamentos no país. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Vespa compartilha alimento com a vizinhança  
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.