Busca avançada

Seleção de microrganismos isolados de tilápia para utilização como probiótico em peixes

Processo: 14/15390-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de abril de 2015 - 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Aquicultura
Pesquisador responsável:Danielle de Carla Dias
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Pesca. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados: Carlos Massatoshi Ishikawa ; Fábio Rosa Sussel ; Giovani Sampaio Gonçalves ; Leonardo Tachibana ; Maria José Tavares Ranzani de Paiva
Bolsa(s) vinculada(s):16/00255-7 - Seleção de microrganismos isolados de tilápia para utilização como probiótico em peixes, BP.IC
15/16974-0 - Seleção de microrganismos isolados de tilápia para utilização como probiótico em peixes, BP.TT
15/04875-7 - Seleção de microrganismos isolados de tilápia para utilização como probiótico em peixes, BP.JP
Assunto(s):Desenvolvimento de produtos  Microbiologia  Oreochromis niloticus  Tilápia 

Resumo

Nos últimos anos têm-se intensificado o número de pesquisas voltadas ao desenvolvimento de alimentos funcionais e de substâncias que promovam o aumento na eficiência alimentar e na taxa de crescimento dos peixes. Dentre os alimentos funcionais, ou seja, alimentos que fornecem a nutrição básica e a melhora da saúde de peixes encontram-se os probióticos. Esses elementos possuem potencial para promover a saúde por meio de mecanismos não previstos pela nutrição convencional. Os probióticos são suplementos alimentares compostos de microorganismos vivos que beneficiam a saúde do hospedeiro, através do equilíbrio da microbiota intestinal. Objetiva-se com este estudo selecionar bactérias probióticas para peixes de água doce, isoladas do intestino e pele de tilápia, Oreochromis niloticus. Serão selecionadas as bactérias, que mostrarem efeitos positivos na capacidade de adesão, capacidade de colonização, e de multiplicação proveniente de material mucoso de pele e de intestino, sobrevivência na presença de bílis e capacidade de inibir os microorganismos patogênicos por meio de substâncias antimicrobianas. Serão realizados também, testes com as possíveis bactérias probióticas em tilápia para confirmar sua aplicabilidade na aquicultura. Estes testes servirão para selecionar uma bactéria com capacidade de proporcionar melhor desempenho zootécnico e melhora do sistema imune. Após a confirmação da bactéria ter potencial para probiótico, será realizado registro ("Patente") para utilização desta bactéria como probiótica para tilápia. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
A vez da tilápia