FAPESP Logo

Fisiologia termal e balanço de água em anfíbios anuros ao longo de um gradiente altitudinal da Floresta Atlântica

Pesquisador responsável:

Denis Otavio Vieira de Andrade

Beneficiário:

Instituição-sede da pesquisa: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo: 13/04190-9
Vigência: 01 de novembro de 2013 - 30 de abril de 2016
Bolsa(s) vinculada(s):14/10614-9 - Treinamento em técnicas de estudo em osmo e termorregulação e em análises de biologia molecular em um contexto ecofisiológico: anfíbios anuros como organismos modelos, BP.TT
Assunto(s):

Fisiologia animal

Herpetologia

Anura

Regulação da temperatura corporal animal

Balanço hídrico

Resumo
Anuros podem ser considerados como modelos para estudos de variação em aspectos da fisiologia termal e balanço de água por possuírem um tegumento altamente permeável (tornando-os especialmente sensíveis a disponibilidade hídrica do ambiente) e ectotermia (que os torna dependente de fontes externas de calor para regulação da temperatura corpórea). Assim, temperatura e disponibilidade hídrica afetam de maneira importante a ecologia, a fisiologia, a morfologia e o comportamento de anfíbios anuros e podem variar ao longo de um gradiente ecológico. O presente projeto pretende testar se variações intraespecíficas em parâmetros fisiológicos e/ou moleculares variam em função de um gradiente altitudinal da Floresta Atlântica. De início, avaliaremos parâmetros básicos relacionados à biologia termal (temperatura crítica mínima e máxima) e balanço hídrico (taxas de perda de água por evaporação, resistência [da pele] à perda de água por evaporação e taxas de reidratação a partir de água livre) de espécies selecionadas de anuros de áreas baixas e altas. Concomitantemente, para as mesmas espécies e locais de estudo, iremos estudar os níveis de expressão de aquaporinas (AQP) e proteínas de choque térmico (HSP). AQPs são proteínas que formam canais na membrana celular, alterando em muitas vezes a permeabilidade das células enquanto HSPs se apresentam como chaperonas que atuam na mudança de conformação de outras proteínas, em situações de estresse térmico. Portanto, o objetivo focal deste projeto é tentar entender se as variações nas características físicas dos ambientes, associadas ao gradiente altitudinal, são acompanhadas por diferenças fisiológicas organismais e de ordem molecular. Estas duas abordagens sustentam-se de maneira independente e possuem potencial para gerar resultados relevantes em seu próprio mérito. Porém, em termos potenciais, a existência ou não de congruência entre as respostas organismais associadas a fisiologia termal e balanço de água e os dados moleculares pode revelar pistas sobre as bases mecanísticas de uma variação, em ultima instância, de fundo ecológico. (AU)
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisa descobre que os lagartos teiús têm sangue quente
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
Lagartos teiú regulam temperatura corporal em períodos de acasalamento

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BOVO, RAFAEL P.; ANDRADE, DENIS V.; TOLEDO, LUIS FELIPE; LONGO, ANA V.; RODRIGUEZ, DAVID; HADDAD, CELIO F. B.; ZAMUDIO, KELLY R.; GUILHERME BECKER, C. Physiological responses of Brazilian amphibians to an enzootic infection of the chytrid fungus Batrachochytrium dendrobatidis. DISEASES OF AQUATIC ORGANISMS, v. 117, n. 3, p. 245-252, JAN 13 2016. Citações Web of Science: 0.
Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema:
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP