Pesquisa avançada

Contruindo e aprimorando material didático tátil e sonoro visando a integração de cegos no ensino fundamental

Processo: 05/03446-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2006 - 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Maria Isabel Castreghini de Freitas
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Assunto(s):Educação para deficientes  Cartografia  Material didático  Mapa tátil  Pessoas com deficiência visual 

Resumo

Uma das prioridades atuais das políticas públicas envolvendo a Educação Infantil e o Ensino Fundamental refere-se à integração do aluno com necessidade educacional especial nas atividades cotidianas desenvolvidas em classe regular. No entanto, observa-se o quanto ainda é incipiente o material didático e metodologias para garantirem ao professor segurança e autonomia na aplicação dos conteúdos relativos às ciências geográficas, cartográficas e ambientais para alunos cegos ou com baixa acuidade visual. Com o intuito de contribuir para a amenização desse fato surgiu essa proposta de pesquisa. O principal objetivo deste trabalho é ampliar as possibilidades de uso do software Mapavox na geração de material didático tátil de Geografia e Cartografia, bem como, aprofundar os procedimentos metodológicos de construção e utilização de conjuntos didáticos táteis e sonoros (maquetes, mapas e jogos didáticos) para serem utilizados por professores em aulas integradas e/ou convencional. Este trabalho será desenvolvido através de uma parceria entre pesquisadores da Unesp e UFRJ. Seu procedimento metodológico tem como base a experiência da Equipe da Unesp na área da Cartografia Tátil e da Equipe da UFRJ no sistema de síntese de voz do DOSVOX. A qualidade do material didático tátil gerado será avaliada através de aulas práticas com alunos cegos, com baixa acuidade visual e com acuidade visual normal. O desenvolvimento desta pesquisa poderá resultar em material didático que proporcione ao professor a autonomia necessária para a elaboração de mapas, maquetes e jogos educativos táteis tendo como referência sua realidade local. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Ensino de geografia para deficientes visuais