Busca avançada

A contribuição do campo das ambiências para a construção de instrumentos e métodos de sensibilização, comunicação e participação envolvendo populações expostas ao risco de contaminação biológica das águas

Processo: 13/50022-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2013 - 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: CNRS
Pesquisador responsável:Maria Tereza Pepe Razzolini
Beneficiário:
Pesq. responsável no exterior: Jacques Lolive
Instituição no exterior: Institut des Sciences Humaines et Sociales (INSHS), França
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/12750-1 - Quantificação de Giardia e Cryptosporidium em águas de abastecimento público e avaliação de risco de infecção via ingestão de água em município da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), AP.R
Assunto(s):Saúde pública  Políticas públicas  População em risco  Avaliação de risco  Riscos ambientais  Poluição da água 

Resumo

O presente projeto visa apoiar a pesquisa FAPESP 2012/12750-1 “Quantificação de cistos de Giardia e oocistos de Cryptosporidium em águas de abastecimento público e avaliação do risco de infecção associada à ingestão de águas superficiais e subterrâneas destinadas ao abastecimento público e que representa riscos à saúde humana, no qual, uma das etapas requer um trabalho com a comunidade envolvida. Desta forma, propõe elaborar uma metodologia de ajuda às políticas públicas em matéria de construção de planos de comunicação e participação social, em especial junto às comunidades sujeitas ao risco ambiental, apoiada numa abordagem de caráter experimental e interdisciplinar, que terá a noção de ambiência como noção articuladora e, como objetivo específico, a população de um dos municípios da Região Metropolitano de São Paulo (RMSP), cuja estação de tratamento de água foi escolhida como ponto de amostragem, pois tem sistematicamente apresentado problemas de contaminação biológica segundo dados do relatório de qualidade de águas superficiais da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Para responder a essas expectativas, propõe-se elaborar um processo de participação original, com duas ações complementares: 1) uma abordagem de sensibilização-comunicação, visando desenvolver uma cultura de risco junto à população exposta; 2) um dispositivo participativo capaz de articular todos os envolvidos nas situações, utilizando a noção de ambiência que traduz a riqueza de ligações (sensoriais, sensíveis, imaginárias...) que unem os morados a seus territórios de vida (bairro, paisagem, moradia...). Assim, será realizado, dentro de uma abordagem engajada e interdisciplinar, um trabalho em conjunto com a equipe internacional, visando à discussão e construção de metodologias e técnicas inovadoras de sensibilização, comunicação e participação, trazendo as experiências dos parceiros para, ao final, chegar-se na elaboração de um protocolo/programa piloto que orienta tais práticas. (AU)