FAPESP Logo

Indicadores de expressividade e processamento emocional na depressão

Processo: 12/50879-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2012 - 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Clarice Gorenstein
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/20704-2 - Indicadores de expressividade e processamento emocional na depressão, BP.TT
Assunto(s):

Depressão

Comunicação não-verbal

Comportamento e mecanismos comportamentais

Emoções

Diagnóstico psicológico

Consciência (percepção)

Resumo
Depressão é um transtorno de humor de impacto negativo para os indivíduos e a sociedade, associa-se a processos emocionais automáticos, difíceis de serem definidos e avaliados, que ocasionam problemas interpessoais, perda de apoio social, resultando em piora da doença. Duas medidas de expressividade e processamento emocional, pouco investigadas em pacientes deprimidos, podem atuar como ferramentas de acesso privilegiado a fatores afetivos inconscientes: 1) Comunicação não-verbal, composta predominantemente por respostas reflexas que indicam afetos e motivações sociais não expostas na fala; e 2) Nível de consciência emocional, habilidade de reconhecer emoções em si e nos outros, que auxilia o gerenciamento do próprio comportamento e desenvolvimento da empatia. O objetivo do estudo é investigar a relevância dos indicadores de comunicação não-verbal e níveis de consciência emocional em pacientes deprimidos. Durante entrevistas clínicas serão avaliadas diferenças na expressividade e consciência emocional de pacientes e controles saudáveis, assim como de diferentes subgrupos de pacientes. Também serão investigadas associações entre: a) o julgamento da expressividade feito pelos próprios pacientes, entrevistadores e observadores externos ao contexto clínico; b) medidas de expressividade e consciência emocional dos pacientes. Considerando que a maioria dos estudos de comunicação não-verbal e consciência emocional em psicopatologia são realizados com amostras caucasianas, a avaliação de pacientes brasileiros também poderá trazer contribuições sobre questões culturais envolvidas na expressividade emocional de pessoas deprimidas. Os resultados contribuirão no mapeamento de variáveis emocionais relevantes para diagnóstico e tratamento do transtorno. (AU)
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Expressão não verbal ajuda a diagnosticar a depressão

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FIQUER, JULIANA TEIXEIRA; BOGGIO, PAULO SERGIO; GORENSTEIN, CLARICE. Talking bodies: Nonverbal behavior in the assessment of depression severity. Journal of Affective Disorders, v. 150, n. 3, p. 1114-1119, SEP 25 2013. Citações Web of Science: 0.
Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema:
CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP