FAPESP Logo

Diversidade taxonômica e funcional da ictiofauna de riachos em diferentes agrossistemas no Estado de São Paulo

Pesquisador responsável:

Lilian Casatti

Beneficiário:

Instituição: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto, SP, Brasil
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Zoologia Aplicada
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo: 12/05983-0
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de julho de 2014
Bolsa(s) vinculada(s):14/04469-6 - Obtenção de traços funcionais relacionados com uso do habitat, BP.TT
13/23755-7 - Obtenção de traços funcionais relacionados com a alimentação dos peixes, BP.TT
13/00156-0 - Levantamento de dados espaciais em microbacias de diferentes agrossistemas no Estado de São Paulo, BP.TT
Assunto(s):

Zoologia (classificação)

Ictiologia

Resumo
A diversidade funcional é um componente da biodiversidade que expressa o grau de diferenças funcionais entre espécies ou o valor e a variação das espécies e suas características que influenciam o funcionamento das comunidades. Ultimamente, essa informação tem sido utilizada de modo eficiente para avaliar as influências antrópicas sobre comunidades animais e vegetais, gerando respostas mais robustas do que apenas a informação taxonômica. As características funcionais podem ser morfológicas, fisiológicas, reprodutivas ou comportamentais. A diversidade funcional pode ser útil para reconhecer os processos que determinam o funcionamento das comunidades e para avaliar com maior precisão as implicações da extinção de espécies nas comunidades bióticas. A presente proposta tem ênfase na diversidade funcional da ictiofauna de riachos, uma vez que estes organismos representam um papel importante no fluxo de nutrientes, tanto ao longo do nível trófico quanto no espaço, em razão das migrações que esses organismos realizam. O objetivo geral do presente projeto é avaliar como a diversidade taxonômica e funcional e a especialização funcional variam em função da degradação do hábitat relacionada com diferentes usos do solo, correspondentes aos agrossistemas predominantes na região. Serão escolhidas, pelo menos, 45 micro-bacias (15 com uso predominante para pastagem, 15 para cana-de-açúcar e 15 referência) para coleta de dados ambientais e da ictiofauna. Serão obtidos os descritores de diversidade taxonômica (riqueza e índice de Shannon-Wiener) e funcional (espaço, equitabilidade e dispersão funcional) a partir de características ecomorfológicas. Espera-se que a diversidade funcional expresse de modo mais significativo as diferenças entre usos do solo do que a diversidade taxonômica, que alguns grupos funcionais sejam mais sensíveis que outros às mudanças no uso do solo e que as espécies mais especializadas respondam mais negativamente ao distúrbio que as espécies oportunistas. (AU)

CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP