FAPESP Logo

Estrutura genética populacional das espécies Brycon insignis na bacia do Rio Paraíba do Sul, e Brycon orbignyanus na bacia do Rio Paraná para seu manejo sustentado, baseado na variabilidade do DNA mitocondrial

Pesquisador responsável:

Alexandre Wagner Silva Hilsdorf

Beneficiário:

Instituição: Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão. Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Mogi das Cruzes, SP, Brasil
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo: 00/10841-2
Vigência: 01 de março de 2001 - 31 de julho de 2003
Assunto(s):

Biodiversidade

Manejo ambiental

Ictiologia

Characidae

Rios

Rio Paraíba do Sul

Rio Paraná

Resumo
A perda da diversidade genética causada por impactos ambientais tem resultado em danos consideráveis sobre ecossistemas terrestres e aquáticos. Nos ambientes aquáticos, modificações extremas têm sido verificadas pela construção de barragens para formação de reservatórios visando à implantação de hidroelétricas, poluição e atividades agrícolas. A diversidade biológica é fundamental para manutenção das espécies, no que concerne à sua habilidade de adaptação e resposta às freqüentes mudanças ambientais. Um dos pontos centrais para o planejamento de medidas de conservação da biodiversidade aquática é o entendimento da estrutura populacional da espécie, para que se determinem tanto as respostas fisiológicas às variações ambientais como as estratégias de manejo das populações naturais. Diversas metodologias têm sido utilizadas para avaliar a estrutura populacional em espécies de peixes. A variabilidade do DNA mitocondrial tem sido extensamente utilizada no estudo genético-populacional de peixes. O projeto em questão objetiva evidenciar a estrutura genético-populacional das espécies Brycon orbignyanus na Bacia do Paraná e Brycon insignis na Bacia do Paraíba do Sul, outrora de significativa importância econômica, e atualmente em perigo de extinção, por meio da variabilidade inter e intra-populacional do DNA mitocondrial. O entendimento da estrutura genética de uma espécie é etapa importante em programas de repovoamento para conservação da ictiofauna. Assim, este projeto pretende auxiliar e definir mais claramente áreas de proteção, onde as populações estejam localizadas. O mapeamento da distribuição genética das populações pode também identificar pontos de estrangulamento, tais como destruição de matas ciliares, pesca predatória, entre outros, e com isto possibilitar melhores medidas de proteção do ecossistema como um todo. (AU)

CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP