Busca avançada

Determinação da estrutura da crosta e manto superior, anisotropia sísmica no manto superior e estudo da atividade sísmica local e regional associada ao arco de Ponta Grossa, PR

Processo: 10/09881-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Afonso Emidio de Vasconcelos Lopes
Beneficiário:
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:Fabio Luiz Dias ; Marcelo Sousa de Assumpção ; Marlon Pirchiner Moreira ; Martin Schimmel ; Renato Luiz Prado
Bolsa(s) vinculada(s):11/18977-5 - Estudo da Atividade Sísmica Local e Regional na Região do Arco de Ponta Grossa, PR, BP.TT
10/18383-5 - Determinação da estrutura da crosta e manto superior,anisotropia sísmica no manto superior e estudo da atividade sísmica local e regional associada ao arco de ponta grossa, pr, BP.TT
Assunto(s):Anisotropia  Sismologia  Sismicidade 

Resumo

O Arco de Ponta Grossa (APG) é a maior e mais intrigante feição geológica da Bacia do Paraná, sendo um arqueamento regional da litosfera associado a falhas geológicas profundas de escala crustal ou litosférica, relacionadas a um dos mais expressivos enxames de diques do planeta (Strugale 2002). Além disso, o APG teve grande importância na configuração erosiva da Bacia do Paraná, e atualmente é considerado um dos elementos fundamentais para explicar as acumulações das espessas camadas de sal na porção offshore do Brasil e países africanos, onde se encontram os reservatórios de petróleo conhecidos como pré-sal. Embora o APG seja de grande importância para o estudo da evolução da Bacia do Paraná, o conhecimento que temos atualmente sobre a sua estrutura está limitado a estudos de superfície e poucas estimativas de sua estrutura profunda. A área de estudo do presente projeto se localiza entre os lineamentos Guapiara e Rio Piqueri, sendo cortada pela falha de Jacutinga, e será estudada com uma rede sismográfica composta por 13 estações, que permitirão determinar a estrutura sísmica da bacia do Paraná, crosta e manto superior com os métodos de refração sísmica rasa, Função do Receptor com ondas P de altas e baixas frequências, correlação cruzada de vibrações sísmicas ambientais e dispersão de ondas de superfície de sismos regionais. Também será determinada a anisotropia sísmica no manto superior com o estudo da divisão das ondas SKS de telessismos. A proximidade entre as estações (50 km) permitirá estudar a atividade sísmica regional e identificar eventuais surtos de atividade sísmica local no APG, sendo que esta última poderá ser estudada em detalhe para determinação de mecanismos focais, permitindo estimar as direções das tensões tectônicas na região. A integração dos resultados finais deste projeto com os dados de gravimetria, magnetometria e sondagens magnetotelúricas do projeto temático da FAPESP "Modelos da crosta e litosfera sob as bacias do Paraná e Chaco-Paraná integrando gradiometria gravimétrica, gravimetria e sondagens magnéticas e eletromagnéticas" (Processo No. 09/50493-8), oferecerá uma visão completa da estrutura profunda sob o APG e permitirá responder se o underplating previsto para a região é do tipo crustal ou litosférico, e possivelmente abrirá novas questões sobre essa intrigante feição geológica. O orçamento do projeto é composto pela compra de quatro estações sismográficas (US$ 72.400), um notebook (R$ 4.500), e despesas com a instalação e manutenção da rede de estações durante dois anos (R$ 42.000). (AU)