Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização de comunidades bacterianas marinhas da região costeira de São Paulo

Processo: 10/51144-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2010 - 30 de setembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Irma Nelly Gutierrez Rivera
Beneficiário:Irma Nelly Gutierrez Rivera
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):12/10847-8 - Caracterização das comunidades bacterianas quitinolíticas em amostras de água do mar através da construção de bibliotecas genômicas, BP.TT
11/08048-7 - Diversidade de bactérias marinhas viáveis em amostras de água do mar coletadas no litoral do Estado de São Paulo, BP.TT
Assunto(s):Ecossistemas costeiros  Bactérias  Biblioteca gênica 

Resumo

A ecologia microbiana, na maior parte do século 20, empregava ferramentas não moleculares para estudar as populações microbianas naturais, como a medida da biomassa, microscopia e técnicas de cultivo. Porém, quando aplicadas em procariotos, todas estas técnicas sofrem limitações e, além disso, 90-99% das células microbianas presentes em amostras ambientais não são cultiváveis. Com a disponibilidade de novos métodos moleculares, o número de estudos abrangendo diversidade de comunidades microbianas aumentou exponencialmente nos últimos 15 anos. A diversidade bacteriana no ecossistema marinho é grande e pouco conhecida e está envolvida em muitos processos biológicos, fisiológicos e bioquímicos importantes para a conservação do ecossistema marinho. As bactérias quitinolíticas presentes nos oceanos são essenciais nos processos de ciclagem de nutrientes liberando carbono e nitrogênio para toda a cadeia trófica, a partir da degradação da quitina. O projeto tem como objetivo caracterizar a estrutura das comunidades bacterianas (heterotróficas e quitinolíticas) presentes na região do Canal de São Sebastião, Baixada Santista e Ubatuba. A diversidade de bactérias marinhas viáveis será determinada através do sequenciamento parcial do gene 16S rDNA. Dez bactérias serão identificadas, em nível de espécie, através do sequenciamento total do gene 16S rDNA, da técnica de MLSA e da hibridação DNA-DNA. A composição da comunidade bacteriana total será determinada, em cada um dos locais, através da construção de bibliotecas de clones dos genes 16S rDNA e chiA. Desta maneira, o presente projeto tentará obter subsídios para conhecer a diversidade bacteriana existente no ecossistema marinho para que o mesmo seja aproveitado de maneira sustentável. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Poluição reduz diversidade de bactérias marinhas no litoral paulista