FAPESP Logo

Avaliação bioquímica de vitamina A e zinco e sua relação com o estresse oxidativo em pacientes com ataxia-telangiectasia

Pesquisador responsável:

Roseli Oselka Saccardo Sarni

Beneficiário:

Instituição: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo: 08/08705-5
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 30 de novembro de 2010
Assunto(s):

Estado nutricional

Hábitos alimentares

Encefalopatias

Ataxia telangiectasia

Estresse oxidativo

Vitamina A

Zinco

Resumo
A Ataxia-Telangiectasia (A-T) é uma doença autossômica recessiva degenerativa rara que afeta aproximadamente 1: 70.000 nascidos vivos, causada por mutação no gene responsável pela codificação da proteína ATM localizado no cromossomo 11q22-23. Há evidências de exacerbação do estresse oxidativo em pacientes com A-T favorecendo a neurodegeneração e o desenvolvimento de neoplasias. O principal mecanismo implicado tem sido as alterações na proteína ATM, entretanto não há estudos avaliando a participação da deficiência de micronutrientes envolvidos na defesa antioxidante, como o zinco e vitamina A, na peroxidação lipídica (estresse oxidativo). Objetivo: Avaliar as concentrações plasmáticas de vitamina A e zinco em pacientes com A-T e relacioná-las com os níveis de malondialdeído e contagem de linfócitos CD4+ e CD8+. Casuística e Método: Serão avaliados, por meio de estudo transversal e prospectivo, pacientes com diagnóstico de A-T segundo critérios do Grupo Pan-Americano de Imunodeficiência (PAGID) e da Sociedade Européia de Imunodeficiência -(ESID), de ambos os sexos, independente da idade. Serão recrutados todos os pacientes com diagnóstico de A-T em acompanhamento na Disciplina de Alergia, Imunologia Clínica e Reumatologia do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo. Além disso, convidaremos outros pacientes através da rede do Grupo Brasileiro de Imunodeficiência (BRAGID) a participarem do projeto. Já existem cerca de 30 pacientes cadastrados que serão convidados a participarem do estudo. Serão realizadas as seguintes avaliações antropométricas e bioquímicas: peso, estatura, circunferência braquial, pregas cutâneas tricipital e subescapular zinco sérico e eritrocitário, retinol, beta-caroteno e malondialdeído plasmáticos. Análise Estatística: Qui-quadrado, Mann-Whitney e t-Student. Será adotado ± <0,05. (AU)

CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP