FAPESP Logo

Identificação e contagem de agentes causadores de mastite bovina pela reação em cadeia da polimerase

Pesquisador responsável:

Marcos Veiga dos Santos

Beneficiário:

Instituição: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo: 07/08557-3
Vigência: 01 de abril de 2008 - 30 de novembro de 2010
Assunto(s):

Mastite animal

Bovinos

Bovinocultura leiteira

Leite

Staphylococcus

Reação em cadeia por polimerase (PCR)

Resumo
A mastite bovina é considerada a principal doença do gado leiteiro em todo o mundo, determinando os maiores prejuízos econômicos ao produtor, e perdas significativas à indústria laticinista, por impactar negativamente a quantidade e a qualidade do leite produzido. A maior parte dos casos da doença é de etiologia bacteriana e uma vez acometido, o quarto mamário pode evoluir para um quadro crônico. Em aproximadamente 80% dos casos, cinco espécies são responsáveis pelo estabelecimento da enfermidade: Escherichia coli, Streptococcus uberis, Streptococcus dysgalatiae, Streptococcus agalactiae e Staphylococcus aureus, sendo que o S. agalactiae e o S. aureus são essencialmente contagiosos, tornando-se necessária a identificação desses agentes para adequar as medidas para o controle e tratamento da doença no rebanho. Os métodos convencionais de identificação bacteriana baseiam-se, essencialmente, na cultura do microrganismo, seguida de análise das características fenotípicas, provas bioquímicas e seu perfil enzimático. Entretanto, as principais desvantagens se concentram no fato de que uma cultura negativa pode resultar da inibição do crescimento por presença de resíduos de antimicrobianos, número reduzidos de patógenos na amostra ou presença de leucócitos de casos clínicos. Adicionalmente, a viabilidade de um método de detecção para diagnóstico de rotina está na dependência de fatores tais como especificidade, sensibilidade, custo, tempo requerido para realização da análise e sua aplicabilidade quando da realização de um grande número de amostras de leite. A justificativa para a realização deste projeto baseia-se na demanda por um método rápido, sensível e específico para o diagnóstico da mastite subclínica, em particular por aquela causada por agentes contagiosos, como S. aureus e S. agalactiae, por meio de PCR quantitativo, visando o controle e monitoramento da doença em rebanhos leiteiros. Sendo assim, os objetivos do estudo proposto são os de estabelecer um método de identificação e contagem de Staphylococcus aureus e Streptococcus agalactiae em amostra de leite obtidas por três métodos de coleta (asséptica do quarto mamário infectado, asséptica composta, e não asséptica composta), comparando com a metodologia convencional de identificação por meio de cultura microbiológica. Os resultados esperados com a realização deste projeto são a determinação da especificidade e sensibilidade da identificação e contagem de S. aureus e S. agalactiae em amostras compostas por meio de PCR quantitativo, permitindo maior agilidade na tomada de decisão quanto ao tratamento e controle de mastite em vacas com alta CCS. (AU)

CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP