Busca avançada
Ano de início
Entree

Instituto Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Materiais Complexos Funcionais (INOMAT)

Processo: 08/57867-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de março de 2009 - 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:Fernando Galembeck
Beneficiário:Fernando Galembeck
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):12/06770-0 - XI International Conference on nanostructured materials (nano 2012), AR.EXT
Bolsa(s) vinculada(s):13/24400-8 - Sílicas mesoporosas híbridas como plataformas para a obtenção controlada de nanopartículas metálicas: relação entre a nanoestruturação e a atividade catalítica, BP.MS
12/20511-7 - Sistemas químicos integrados baseados em nanoestruturas de carbono suportadas em matrizes porosas: correlações entre o protocolo de síntese, propriedades físico-químicas e aplicação em cromatografia e eletroquímica, BP.PD
10/10746-1 - Padrões eletrostáticos em superfícies metálicas: efeito da partição de grupos hidroxônio e hidroxila associados à adsorção de vapor de água, BP.PD
10/10747-8 - Auto-organização de nanocompósitos sob a aplicação de campos elétricos: estudo da mobilidade e distribuição de cargas, BP.PD
08/54669-0 - Auto-associação de surfatantes sobre substratos e o processo de transição de molhabilidade, BP.PD
Assunto(s):Recursos naturais  Materiais nanoestruturados  Nanotecnologia 

Resumo

O Instituto Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Materiais Complexos Funcionais (INOMAT) é um novo momento na atividade científica, tecnológica e inovadora de um grupo de pesquisadores brasileiros que se uniram já há vários anos, trazendo uma característica nova ao cenário brasileiro: a contribuição ao avanço da fronteira do conhecimento associada à transformação de conhecimento em produtos e processos geradores de riqueza. O objetivo geral do projeto é a criação, desenvolvimento e produção de materiais complexos funcionais, produzindo novo conhecimento científico sobre vários tipos de sistemas e gerando novos produtos e processos destinados a diferentes aplicações. Os materiais considerados pertencem a várias classes de biopolímeros obtidos da biodiversidade e de subprodutos do agronegócio, de polímeros sintéticos, sólidos inorgânicos cristalinos e amorfos, híbridos, nanocompósitos, vários grupos de nanopartículas, nanotubos, estruturas lamelares, sólidos micro e mesoporosos e outras nanoestruturas. Suas funcionalidades permitem que se contemplem aplicações em vários tipos de produtos: materiais para o meio-ambiente (adsorventes, membranas, catalisadores para remediação), para suprimento de água (membranas, fotocalisadores eletroassistidos), catalisadores para processamento de hidrocarbonetos, óleos e outras matérias-primas, nanocompósitos poliméricos, materiais para optoeletrônica e células solares. O Instituto também se aplica à pesquisa teórica, metodológica e à investigação de sistemas modelo relevantes, que geram novas informações e idéias que por sua vez repercutem na criação de novos materiais: espectrometrias de massa, técnicas de microscopia eletrônica e de varredura de sondas, especialmente as aplicáveis à elucidação de padrões de distribuição de excessos de cargas elétricas em sólidos; espectroscopia na faixa de Terahertz; espectroscopias acústicas e eletroacústicas. A estratégia geral é o uso do estado da arte na caracterização e criação de novos materiais complexos funcionais, bem como a formulação de novos conceitos e criação de novas substâncias e de ferramentas experimentais para a obtenção e caracterização destes materiais. Um exemplo recente é a demonstração da efetividade da adesão capilar na formação e estabilização de nanocompósitos de vários tipos, que permite a introdução de processos originais e ambientalmente aceitáveis na produção de novos materiais funcionais. A escolha das direções de pesquisa e a tomada de decisões durante os projetos específicos são instruídas pelo acompanhamento das publicações, patentes e noticiário científico-tecnológico-empresarial. Também são elementos importantes da estratégia o diálogo constante com pesquisadores e profissionais de empresas, com todos os perfis necessários à consecução dos objetivos dos projetos específicos, seja em contacto pessoal, seja através da participação em eventos da indústria. As estratégias são baseadas no uso das mais atuais ferramentas teóricas e experimentais da nanociência, nanotecnologia e nanoquímica, dentro dos paradigmas da produção com emissão-zero e da química verde. São também elementos importantes da estratégia o diálogo constante com pesquisadores e profissionais de empresas, com perfis necessários à consecução dos objetivos dos projetos específicos. As principais linhas de pesquisa que serão desenvolvidas nos laboratórios deste instituto são: 1) estrutura, espectroscopia e reatividade de aglomerados iônicos em fase gasosa e em sólidos: eletrostática em dielétricos, adesão eletrostática; 2) materiais porosos funcionais e nanopartículas caroço@casca com estrutura hierárquica; 3) nanotubos inorgânicos; 4) compostos lamelares: síntese, propriedades e aplicação; 5) preparação, caracterização e aplicação de nanomateriais na indústria de cosméticos e fármacos; 6) preparação e caracterização de blendas e nanocompósitos poliméricos (especialmente com argilas, nanotubos e polímeros biodegradáveis) e de nanocompósitos elastoméricos biocompatíveis (sílica nanoparticulada funcionalizada); 7) desenvolvimento de sistemas híbridos inorgânicos-orgânicos nanoestruturados a partir de material reciclável (garrafas de PET); 8) materiais retardantes de chama materiais para energia e tecnologias de informação; 9) materiais para optoeletrônica: óxidos de terras raras e semicondutores aplicados a dispositivos opto eletrônicos... (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisadores brasileiros fazem descobertas em eletrostática 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
Interações fatais 

Publicações científicas (7)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GALEMBECK, FERNANDO. Synergy in food, energy and advanced materials production from biomass. Pure and Applied Chemistry, v. 90, n. 1, p. 109-119, JAN 2018. Citações Web of Science: 0.
FERREIRA, E. S.; DA SILVA, D. S.; BURGO, T. A. L.; BATISTA, B. C.; GALEMBECK, F. Graphite exfoliation in cellulose solutions. NANOSCALE, v. 9, n. 29, p. 10219-10226, AUG 7 2017. Citações Web of Science: 1.
LEAL, C. V.; MARTINEZ, D. S. T.; MAS, B. A.; ALVES, O. L.; DUEK, E. A. R. Influence of purified multiwalled carbon nanotubes on the mechanical and morphological behavior in poly (L-lactic acid) matrix. JOURNAL OF THE MECHANICAL BEHAVIOR OF BIOMEDICAL MATERIALS, v. 59, p. 547-560, JUN 2016. Citações Web of Science: 2.
DE FARIAS, MARCELO ALEXANDRE; GONCALVES, MARIA DO CARMO. Synthesis and applications of polystyrene-block-poly(N-vinyl-2-pyrrolidone) copolymers. POLIMEROS-CIENCIA E TECNOLOGIA, v. 26, n. 1, p. 1-10, JAN-FEB 2016. Citações Web of Science: 0.
MARCELO ALEXANDRE DE FARIAS; MARIA DO CARMO GONÇALVES. Synthesis and applications of polystyrene-block-poly(N-vinyl-2-pyrrolidone) copolymers. POLIMEROS-CIENCIA E TECNOLOGIA, v. 26, n. 1, p. 1-10, Fev. 2016.
MECCHIA ORTIZ, JUAN H.; LONGO, CLAUDIA; KATZ, NESTOR E. Polypyridyl ruthenium complexes containing anchoring nitrile groups as TiO2 sensitizers for application in solar cells. Inorganic Chemistry Communications, v. 55, p. 69-72, MAY 2015. Citações Web of Science: 3.
ANDRADE, PATRICIA FERNANDA; DE FARIA, ANDREIA FONSECA; DA SILVA, DOUGLAS SOARES; BONACIN, JULIANO ALVES; GONCALVES, MARIA DO CARMO. Structural and morphological investigations of beta-cyclodextrin-coated silver nanoparticles. COLLOIDS AND SURFACES B-BIOINTERFACES, v. 118, p. 289-297, JUN 1 2014. Citações Web of Science: 15.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.