Busca avançada

De mulher a malu: gênero nos seriados da TV brasileira

Processo: 05/04563-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2006 - 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Antropologia Urbana
Pesquisador responsável:Heloisa Buarque de Almeida
Beneficiário:
Instituição-sede: Reitoria. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):Sexualidade  Melodrama  Feminismo 

Resumo

Esta pesquisa visa uma reflexão sobre a atuação da mídia na construção social do gênero, com foco em dois seriados da Rede Globo. Esta produção cultural é abordada aqui como uma esfera hegemônica de construção de sentidos simbólicos na sociedade brasileira. Os casos empíricos escolhidos para esta reflexão permitem a pesquisa tanto na esfera da produção, como uma análise do conteúdo dos bens culturais e a recepção ou consumo dos bens da indústria cultural, numa abordagem metodológica de antropologia da mídia (Ginsburg at al., 2002), na qual a pesquisa se dá em diversos locais. Em termos da produção de sentidos na esfera da televisão, pretende-se analisar a atuação social, política e simbólica de agentes que influenciam e atuam na produção da mídia, sejam profissionais internos à produção e à emissora (autores, produtores, diretores), sejam setores sociais e agentes especializados com o objetivo de interferir nas construções promovidas (anunciantes, consultores profissionais, órgãos públicos e movimento social). Para tanto, são dois os objetos empíricos recortados a partir das produções de TV. Por um lado, pretendo aprofundar um estudo sobre a interação entre mídia e movimento social através do seriado Malu Mulher, exibido pela Globo nos anos de 1979 e 1980, em sua relação com o feminismo. Por outro, para analisar a relação entre mídia e órgãos do estado e o saber médico, o seriado Mulher (1998-1999) e a intenção de promover através desta narrativa mensagens educativas relacionadas à saúde da mulher. Ainda, estes seriados são encarados como parte de uma linha de dramaturgia relacionadas às novelas e a uma certa estrutura de melodramas seriados que têm grande penetração social.Inicialmente, se buscará material dos seriados na Rede Globo, através de seu Centro de Memória, ao lado de uma pesquisa junto aos produtores e profissionais que atuaram nestes dois seriados, particularmente seus autores e diretores, mas também os consultores que afetaram a escolha de temas. Com o material coletado na emissora, se buscará uma análise do conteúdo dos seriados, visando analisar os temas mais presentes nos dois períodos, as construções de gênero, corpo, sexualidade e relações familiares, e uma leitura crítica e interpretativa das imagens e textos. Comparações entre os dois seriados serão enfatizadas na abordagem de temas como aborto, violência doméstica, e outros temas caros ao movimento feminista, como forma de selecionar trechos para aprofundar a reflexão. Ademais, em ambos os casos, para melhor entender esta atuação social da mídia e como sua produção de sentidos simbólicos permeia a sociedade, a pesquisa se aprofundará noutra etapa numa perspectiva de estudo de recepção, buscando entender o impacto que tiveram e a leitura de diversos segmentos sociais destes seriados, além de sua repercussão na mídia impressa.A pesquisa será feita junto à esfera da produção, através de entrevistas e visitas à Rede Globo, e análise de conteúdo dos episódios dos seriados – incluindo transcrição de diálogos, uma análise do tratamento dado aos temas, sua relação com personagens protagonistas e secundários, e “moral” da história, dialogando assim com a bibliografia sobre melodrama e convenções narrativas da televisão. As interpretações da equipe de produção e nossa leitura do texto serão posteriormente comparadas com as interpretações de segmentos da audiência que costumavam acompanhar os seriados no seu período de exibição. (AU)