FAPESP Logo

Conteúdo relacionado

    Avaliação da presença de fungos micelianos e leveduras em amostras de leite provenientes de tanques de refrigeração (tanques de expansao)de propriedades de exploração leiteira e estudo da susceptibilidade..

    Pesquisador responsável:

    Priscilla Anne Melville

    Beneficiário:

    Instituição-sede da pesquisa: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
    Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
    Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
    Processo: 02/04948-4
    Vigência: 01 de novembro de 2002 - 31 de outubro de 2004
    Assunto(s):

    Leveduras

    Pasteurização

    Bovinos

    Leite

    Resumo
    A presença de microrganismos muitos dos quais agentes de zoonoses, constitui fator que compromete a sua qualidade. O leite e seus derivados lácteos contaminados com fungos micelianos e leveduras, podem ser potenciais vias de transmissão de zoonoses associadas a estes microrganismos. O leite cru pode ser consumido "ao pé da vaca" (imediatamente após a ordenha) ou proveniente de tanques de refrigeração de propriedades leiteiras. O leite muitas vezes é comercializado nas periferias das cidades ou em locais de difícil acesso ao produto fiscalizado pela inspeção sanitária, que não é submetido a tratamento para redução de sua carga microbiana e eliminação dos patógenos, como pasteurização e fervura. O objetivo deste foi investigar a presença de fungos micelianos e leveduras em amostras de leite de tanques de refrigeração, e avaliar a susceptibilidade destes agentes às relações temperatura/tempo empregadas nos processos de pasteurização permitidos para uso no Brasil e avaliação da sensibilidade destas cepas à fervura do leite. (AU)

    CDi/FAPESP - Centro de Documentação e Informação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

    R. Pio XI, 1500 - Alto da Lapa - CEP 05468-901 - São Paulo/SP - Brasil
    cdi@fapesp.br - Converse com a FAPESP