Busca avançada
Ano de início
Entree

Terapia combinatória utilizando polimerossomos decorados com transferrina e incorporados em hidrogéis de quitosana como smart drug delivery systems para células tumorais de melanoma

Processo: 17/10789-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de junho de 2018 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Bioengenharia
Pesquisador responsável:André Moreni Lopes
Beneficiário:André Moreni Lopes
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Pesq. associados:Carlota de Oliveira Rangel Yagui ; Leandro Ramos Souza Barbosa ; Luciana Biagini Lopes ; Priscila Gava Mazzola
Bolsa(s) vinculada(s):18/10799-0 - Terapia combinatória utilizando polimerossomos decorados com transferrina e incorporados em hidrogéis de quitosana como smart drug delivery systems para células tumorais de melanoma, BP.JP
Assunto(s):Doxorrubicina  Nanotecnologia  Quitosana  Transferrina  Hidrogéis  Células tumorais 

Resumo

Neste projeto de pesquisa, nós propomos investigar uma nova abordagem de coterapia, usando smart drug delivery systems na terapia do melanoma. Essa abordagem utilizará multi-drug delivery, a partir de nanoestruturas do tipo vesículas poliméricas (polimerossomos - Ps), o que representa uma alternativa inovadora para o tratamento do câncer. Especificamente, o vemurafenibe, um inibidor específico da proteína B-Raf mutada no sítio V600E, e doxorrubicina, um fármaco de amplo espectro, que pode atuar em proteínas B-Raf selvagem (não mutadas), correspondem a dois importantes fármacos para a terapia do câncer tipo melanoma. A coencapsulação desses fármacos em Ps pode não apenas favorecer a estabilidade das moléculas, mas também aumentar a meia-vida dessas moléculas na corrente sanguínea, além de apresentar possível efeito sinérgico nas células tumorais. Paralelamente a essa abordagem, propomos o uso de estruturas tridimensionais (3-D) de hidrogéis de quitosana como plataformas de Ps. Espera-se que essa plataforma tenha vantagens, tais como mucoadesividade, biocompatibilidade e liberação controlada e sustentada, o que a torna potencialmente interessante na aplicação transdérmica para drug delivery. Além disso, ao decorar a superfície dessas nanoestruturas com um ligante de afinidade tal como a transferrina (Tf), poderemos aumentar a especificidade dos Ps em relação às células tumorais e conseguir maior eficácia terapêutica e diminuição da toxicidade. Neste trabalho, serão investigados: (i) desenvolvimento de Ps em diferentes condições; (ii) encapsulamento (individual e simultâneo) de fármacos; (iii) decoração dos Ps com Tf; (iv) caracterização das formulações dos Ps; (v) estabilidade e incorporação dos Ps em hidrogéis de quitosana sob diferentes condições; (vi) estabilidade do hidrogel com e sem Ps; (vii) liberação dos Ps incorporados no hidrogel em condições simulando a via transdérmica; e (viii) comparação do efeito citotóxico em células tumorais (BRAF mutadas ou não) versus células normais. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.